Férias, Segurança

Cuidados com trombas d’água

Brasília é uma cidade rodeada por locais com muitas cachoeiras legais (Poço Azul, Chapada Imperial, Pirenópolis, Corumbá, Chapada dos Veadeiros, Cavalcanti…)

Durante as férias de verão no Brasil, as pessoas costumam ir a lugares onde há praia ou cachoeira, mas volta e meia escutamos falar de acidentes com essas pessoas, que foram surpreendidas por trombas d’água. Os riscos de acidentes aumentam justamente no verão, quando temporais nas cabeceiras dos rios podem elevar drasticamente a vazão das águas em poucos segundos. Isso pode ser muito problemático, pois muitas vezes na parte baixa da cachoeira o tempo está ensolarado, mas na parte alta, está chovendo. É nesse caso que acontencem as tragédias, pois os banhistas podem ir para partes baixas da cachoeira para se refrescar e não percebem que no topo está se formando uma tromba d’água.

Trombas d’água costumam ocorrer quando chove na cabeceira (nascente) de um rio, aumentando rapidamente seu fluxo. O nível das águas pode subir vários metros em poucos segundos, como uma espécie de “tsunami” dos rios.

Veja como acontece rápido:

Nos EUA, segundo o National Weather Service – órgão governamental que monitora eventos climáticos –, trombas d’água são o fenômeno climático que mais provoca mortes no país.

Por isso, listamos algumas dicas para que você se proteja e proteja seus filhos:

  1. Os cuidados em cachoeiras devem ser pensados antes de ir até elas. Visitar uma cachoeira é algo que deve ser bem planejado. Antes de ir a uma, saiba se ela é adequada para banhos, se é possível de ser acessada sozinha ou se necessita de guia. Se você não conhece a região para onde vai, leve alguém que já conheça ou procure um guia para ajudá-lo.
  2. Procure saber sobre incidências de trombas ou cabeças d’água no local que deseja visitar;
  3. Evite se banhar em vales com encostas íngremes;
  4. Em caso de chuva, não se arrisque a entrar em cachoeiras e rios;
  5. Ao chegar, observe locais bons para fugir de um possível grande fluxo d’água;
  6. Muitas vezes, pessoas são surpreendidas pelas correntezas ao se banhar vários quilômetros abaixo das cabeceiras, sem que haja qualquer sinal de chuva no local onde estão. Se o clima está fechado lá em cima, mesmo que embaixo faça sol, já há grandes possibilidades de chegar uma tromba d’água. Por isso, é preciso ficar atento à presença de nuvens na parte alta dos rios.
  7. A presença de folhas secas ou outros materiais flutuantes no rio é um indício de que uma tromba d’água possa estar a caminho, esses sinais muitas vezes são sutis e há pouco tempo para reagir;
  8. Evite a prática de rapel ou outros esportes radicais em áreas sujeitas a trombas d’água;
  9. Ao entrar no rio, localize pedras que lhe permitam marcar mentalmente o nível das águas. Se perceber que a pedra ou o nível de referência sumiu, acompanhado de uma possível turbidez da água, saia imediatamente de perto do rio, buscando um local mais elevado;
  10. É comum um forte barulho momentos antes da chegada da tromba d’água. Se ouvir algo, saia imediatamente da água.

Uma outra dica para aproveitar cachoeiras com segurança: é comum nadar descalço, mas pode ser uma boa ideia entrar na água com um calçado de solado emborrachado, próprio para cachoeiras e rios, e ter mais segurança ao andar. Uma boa ideia também é fazer com que as crianças menores usem coletes.

E bom passeio!

1 Comentário

  1. Cuidados com trombas d’água | Baby Blogs Brasil

    21 de janeiro de 2020 at 16:33

    […] Durante as férias de verão no Brasil, as pessoas costumam ir a lugares onde há praia ou cachoeira, mas volta e meia escutamos falar de acidentes com essas pessoas, que foram surpreendidas por trombas d’água. Os riscos de acidentes aumentam justamente no verão, quando temporais nas cabeceiras dos rios podem elevar drasticamente a vazão das águas em poucos segundos. Isso pode ser muito problemático, pois muitas vezes na parte baixa da cachoeira o tempo está ensolarado, mas na parte alta, … Ver artigo completo no Blog […]

Comente!