Preenchimento facial: minha experiência

Preenchimento facial: minha experiência

Eu faço 40 anos em 2018. E depois que a Júlia cresceu um pouco, e eu voltei a dar atenção a mim mesma (mães de crianças pequenas entenderão), comecei a reparar em um monte de defeitinhos que estavam se acentuando com a passagem do tempo. Desde os 35 anos que eu tinha indicação de começar a tratar do rosto com tratamentos mais potentes do que apenas cremes noturnos. Mas eu sempre fui muuuito resistente a qualquer intervenção cosméstica, seja no rosto ou no corpo. Sempre tive medo de dar algum erro (eu sou cheia de alergias), de exagerar, de pesar a mão e ficar parecendo boneca de cera… Enfim, eu tinha mesmo era medo.

Até que pessoas que eu não conhecia, ou que conhecia recente, começaram a fazer um mesmo comentário para mim: “Nossa, antes de te conhecer achava que você era super brava!” E eu ficava pensando, “Ok, deve ser por conta do meu jeito mais introvertido.” Mas não era. Era por causa do meu rosto, das marcas de expressão profundas, que estavam mesmo me deixando com cara de poucos amigos…

Foto tirada no dia da aplicação.

E então eu me rendi aos apelos da minha dermato, Dra Cristina Salaro, que me acompanha desde bem antes do meu casamento! E por que estou compartilhando isto aqui? Porque pode ser que outras mulheres tenham as mesmas dúvidas que eu, e estejam inseguras em fazer algum procedimento. E como este é um site de dicas para mães, a indicação de uma profissional competente sempre pode ajudar outras mães.

No dia da aplicação, eu já mostrei os resultados nos Stories do Instagram, e já naquele dia tinha sido bem satisfatório. Hoje, 1 semana após o preenchimento, meu rosto está assim:

Estou bem satisfeita! A Dra Cristina explicou que o lado que eu durmo ficaria ainda um pouco fundo, pelo costume de dormir “em cima” dele. Estudos já mostraram que uma pessoa comum passa 60% de seu tempo dormindo de lado. Esta posição cria dobras verticais nas bochechas e no queixo, principalmente, e também piora as rugas da face, como as da região dos lábios. Se você opta por um lado, pode notar a diferente na outra parte do rosto. A melhor maneira de evitar marcas de expressão no rosto é dormir com a barriga virada para cima, pois o rosto não entra em contato direto com o travesseiro.  Isto evita que a pele “amasse” durante a noite.

O procedimento que eu fiz se chama preenchimento cutâneo (não foi botox). A minha dermato, Dra Cristina Salaro, explica a diferença aqui:

O preenchimento é uma técnica empregada para correção de sulcos, rugas e cicatrizes, por meio da injeção de substâncias sob a área da pele a ser tratada, elevando-a e, assim, diminuindo sua profundidade. Um dos principais objetivos dos preenchedores é repor o volume da face, melhorar seus contornos e formas. O ácido hialurônico é o principal preenchedor utilizado hoje. O corpo humano fabrica esta substância, capaz de manter as formas e contornos, mas essa produção cai com o passar dos anos. Após a aplicação do produto, a área pode ficar levemente avermelhada e inchada. O risco de alergia é raro. Ele é indicado para atenuar rugas, cicatrizes e sulcos, principalmente o nasogeniano (popularmente chamado de bigode chinês – que foi o que eu fiz). Também utilizado na correção de cicatrizes de acne; reposição volumétrica em áreas do rosto nas quais ocorreram perdas de gordura e de sustentação, causadas pelo envelhecimento; contorno e volume dos lábios; tratamento de olheiras e contorno facial. Normalmente uma sessão é suficiente, mas caso os resultados ainda não estejam satisfatórios, é possível fazer um retoque. Os efeitos do preenchimento facial com ácido hialurônico aparecem logo após o tratamento, mas se tornam mais visíveis uma semana após a sessão, momento em que o inchaço do rosto é amenizado.

A toxina botulínica, popularmente chamada de botox, é uma proteína produzida pela bactéria Clostridium botulinum. Quando administrada oralmente em grandes quantidades, bloqueia os sinais nervosos do cérebro para o músculo, causando paralisia generalizada, chamada botulismo. No entanto, por injeção, em quantidades muito pequenas, em um músculo facial específico, apenas o impulso que orienta este músculo será bloqueado, causando o relaxamento local. Deste modo, a toxina botulínica atua como um bloqueio da musculatura subjacente das linhas indesejadas. O tratamento envolve injeção em quantidades muito pequenas nos músculos subjacentes para imobilizá-los. A terapia atual é bem tolerada, rápida e a recuperação é mínima. Alguns efeitos colaterais permanecem por cerca de três a sete dias após o procedimento. A toxina começa a fazer efeito sete a 14 dias depois e esse efeito perdura por cerca de três a seis meses até que desaparece gradativamente, enquanto a ação muscular retorna. Com aplicações em intervalos regulares, pode ocorrer de o músculo enfraquecer e, dessa forma, as aplicações passarem a durar mais tempo. Os efeitos colaterais são mínimos e relacionam-se com a injeção local.

A toxina botulínica é indicada para amenizar linhas de expressão e rugas profundas. Por exemplo, as linhas verticais entre as sobrancelhas; pés-de-galinha nos cantos dos olhos; linhas horizontais na testa e nas bandas do músculo platisma, conhecido como pescoço de peru.

Por mais populares que sejam ambos os procedimentos hoje em dia, não dá para achar que qualquer um faz: procure um médico de confiança, que trabalhe com materiais de qualidade. Um bom dermatologista é investimento que não se deve dispensar nesta fase de chegada aos 40, caso você esteja querendo realizar alguma intervenção estética. A minha médica é a Dra Cristina Salaro, que atende na Dermatologic: 3242-0402, SGAS 607 Edifício Metrópolis sala 128. Ela atende alguns planos de saúde (para consulta, não para procedimentos) e está dando descontos a leitores do Roteiro Baby que mostrarem o print da tela dos Stories do dia em que fiz o preenchimento, ou mostrarem este post.

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!