Festival Internacional de Linguagem Eletrônica - FILE - no CCBB

Festival Internacional de Linguagem Eletrônica – FILE – no CCBB

O maior evento de arte e tecnologia da América Latina acontecerá em Brasília, no CCBB, de 12 de outubro a 11 de dezembro de 2017.  É o FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, que traz exposições coletivas que mostram a diversidade de expressões da arte eletrônica com uma visão abrangente da produção de cada período em diferentes países. A ideia é levar o público para além da tradicional apreciação das obras através da interação com a arte eletrônica. Os visitantes são levados a tocar, pular, balançar, imergir, jogar e brincar com a instalação.

O recorte que vem para Brasília é a mostra Disruptiva, onde se experimenta ser embalado a vácuo (foto abaixo), mudar de cabeça (2ª foto abaixo) e balançar em um mundo real e virtual ao mesmo tempo (3ª foto abaixo). As obras se agrupam em quatro eixos que representam um conjunto de novos comportamentos: corpo vivencial, corpo cinético, corpo virtual e corpo lúdico.

No Pavilhão de Vidro do CCBB, por exemplo, Corpo Vivencial apresenta seis trabalhos que propõem novas sensações e percepções. Dois deles vão, literalmente, transportar o visitante para dentro da arte. Shrink, de Lawrence Malstaf, embala a plateia a vácuo entre duas folhas de plástico transparente e deixa-a verticalmente suspensa. Physical Mind, de Teun Vonk, deita os participantes entre dois objetos infláveis, que os ergue do chão e os espreme suavemente (foto abaixo):

Na Galeria 2, Copo Cinético traz cinco obras que abordam a relação entre movimento real e movimento digital; movimento físico e movimento sonoro; movimento físico e movimento lúdico.

Na Galeria 1, Corpo Virtual é composto por nove instalações que sugerem a interatividade; a imersão digital; selfies; a emoção real e virtual. Em Little Boxes, de Bego Santiago (foto abaixo), é a plateia que vai movimentar a obra: pessoas minúsculas projetadas em caixas de madeira ficam apavoradas com a presença dos visitantes que entram na sala: gritam, fogem e se escondem.

No subsolo, Corpo Lúdico abre a possibilidade do jogo, da imersão, da conexão e da ludicidade, com um dos destaques neste setor: Dear Angelica, de Oculus Story Studio (foto abaixo), um filme de realidade virtual, ilustrado à mão, que leva o público a navegar entre desenhos gigantescos, em uma narrativa espetacular cheia de memórias de uma adolescente.

Em Bound, de Plastic Studios (abaixo), controle uma princesa bailarina sem nome enquanto ela faz seu caminho através de ambientes surreais e oníricos. O jogo ocorre dentro da mente de uma mulher que está revisitando suas memórias de infância, confrontando seu relacionamento com sua mãe e sua própria maternidade.

“Buildasound” (abaixo), de de Mónica Rikić, é um jogo de blocos que produzem som. A ideia é criar formas, ao mesmo tempo em que você gera novos sons: não há um objetivo único (ganhar ou perder), o que importa é se divertir com o jogo, que dá oportunidade de descobrir novas melodias e construções, e a criação constante baseada nas diferentes posições dos cubos.

 

SERVIÇO

FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica
Abertura: 12 de outubro (haverá palestra aberta ao público)
Visitação: De 12 de outubro a 11 de dezembro
Funcionamento: terça a domingo, das 9h às 21h
Local: CCBB (SCES, Trecho 02, lote 22)
Informações: (61) 3108 7600
Entrada franca
Classificação indicativa livre.

 

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!