Agosto: mês da amamentação

Agosto: mês da amamentação

Não há mais dúvidas sobre os benefícios fisiológicos, psicológicos e sócio econômico culturais da prática do aleitamento materno para a díade mãe/bebê. Sabe-se que a amamentação, isoladamente, é a estratégia de maior impacto capaz de salvar a vida de cerca de 13% das crianças menores de 5 anos em todo o mundo por causas previníveis. O estímulo da amamentação exclusiva salva nada menos que 6 milhões de crianças por ano.

O leite materno é o melhor alimento que um bebê pode receber nos seus primeiros anos de vida, sendo indicado até dois anos ou mais. Sua superioridade orgânica o torna de melhor digestibilidade, sendo o alimento mais completo para promover o crescimento e desenvolvimento infantil. Crianças amamentadas também estão mais protegidas contra doenças infecciosas.

Infelizmente, apenas 38,6% dos bebês brasileiros se alimentam só com o leite da mãe nos primeiros 5 meses de vida, segundo um relatório Organização Mundial da Saúde divulgado na terça-feira (01/08). A taxa é considerada abaixo do ideal, mas regular em relação a outros países pela OMS — a média mundial de amamentação nos primeiros 6 meses de vida fica em torno de 20% a 40% (a diferença no número de meses se deve ao fato de os dados disponíveis não serem padronizados).

Outro ponto importante divulgado na terça-feira pela OMS é que nenhum país segue inteiramente as diretrizes para a amamentação. A entidade recomenda amamentação exclusiva para bebês até seis meses de idade. O aleitamento materno também deve ser iniciado uma hora após o nascimento e se estender por até 2 anos — com a combinação de outros alimentos.

“Campanhas para o incentivo da amamentação vêm desde os anos 1990 e ainda temos alguns problemas”, diz Marisa Patriarca, médica ginecologista e professora da pós-graduação da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). “Existe certa dificuldade da sociedade entender e apoiar a importância da amamentação”.

O Congresso Nacional sancionou recentemente uma lei que institui o mês de agosto como o Mês do Aleitamento Materno e com isso passa a ser chamado Agosto Dourado. Esta lei diz que no mês de agosto ações intersetoriais de conscientização e esclarecimentos a respeito da importância do aleitamento materno, serão intensificadas por meio de palestras, reuniões em comunidades, espaços públicos e divulgação na mídia, além de decorações com a cor dourada para lembrar a campanha. A cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno. É uma cor toda especial, que já percorre o mundo com o seu laço simbólico. São trinta dias, em que são celebrados a promoção, a proteção e o apoio ao aleitamento.

Portal para doação de leite materno em Brasília: http://amamentabrasilia.saude.df.gov.br/

Hoje, 08/08, o Roteiro Baby concede entrevista sobre o tema a Sabrinna Albert, do quadro Hora da Venenosa do programa Balanço Geral, na Rede Record por volta de 14h.

 

Autoria de Mari Oliveira

Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line.
Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line.
No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”.
Eles estavam certos!