Como evitar escorpiões em casa

Imagem Shutterstock. Cópia não autorizada.

Como evitar escorpiões em casa

Quando a Júlia nasceu, eu mudei de um apartamento para uma casa. A primeira providência que tomei, antes de entrar na casa, foi dedetizar todos os cantinhos dela. E qual não foi minha surpresa quando, ainda dentro da garantia da dedetização, encontrei o primeiro escorpião dentro de casa… No meu banheiro! Depois dele, ainda encontrei mais cinco no primeiro ano morando na minha casa (um deles no cantinho de brinquedos da Júlia, que pânico!). Eu chamava a dedetização de novo, eles prometiam que dessa vez iam exterminar, mas logo em seguida, aparecia outro escorpião.

Em conversas com vizinhos, descobri muitas coisas sobre esses bichos peçonhentos que infestam Brasília ultimamente… A principal delas é que: o veneno comumente usado contra insetos NÃO MATA os escorpiões, só os atiça pra fora de suas tocas e ainda faz com que eles se reproduzam assexuadamente, lançando de 20 a 30 filhotes no ambiente! Escorpiões conseguem ficar entocados (ou seja, dentro de suas tocas) por até um ano sem se alimentar, por isso se pensa que a dedetização comum resolve.

A outra coisa que aprendi: esses bichos andam em pares. Então, se você encontrou um em casa, se prepare, porque ainda tem outro por aí. E como veneno comum não adianta, tome muito cuidado! Aqui em casa a gente só encontrou do escorpião preto (Bothriurus araguayae), que é menor e menos perigoso. Como o veneno normal contra insetos não ajuda e não mata o bicho, o recomendado é que ao se deparar com um, seja feita uma ação mecânica que mate o animal. Na prática, a pessoa deve usar uma faca ou algum objeto que esmague ou corte o escorpião ao meio. Meu marido corria atrás (corria mesmo! Escorpiões são muito rápidos!) e matava às chineladas, depois recolhia num vidro e tocava fogo com álcool.

No Distrito Federal, o tipo mais encontrado é o escorpião-amarelo (Tityus serrulatus), segundo levantamento da Secretaria de Saúde. Em áreas rurais, podem ser vistos o preto e o de patas rajadas (Tityus fasciolatus). O escorpião-amarelo é considerado o mais venenoso da América do Sul e o de maior incidência no país. Seu veneno é neurotóxico, ou seja, age no sistema nervoso periférico. Pode ser letal.

20160531233816

Ultimamente, os escorpiões têm se reproduzido em uma proporção fora do que é considerado normal. Segundo o biólogo e pesquisador Randy Baldresca, o número desses bichos andando pelas ruas deve aumentar até 70% nos próximos dois anos.

Aqui em Brasília já estamos em alerta máximo por causa da alta incidência do escorpião. As principais vítimas, e as que correm o maior risco, são as crianças de até 12 anos e os idosos. Ontem (31/05/2016), os jornais da cidade noticiaram que alguns pais doaram galinhas (predadoras naturais de escorpiões) a uma escola de Sobradinho para combater a infestação.

Como veneno comum contra insetos não funciona, o melhor método de combate é evitar o acúmulo de lixo e entulho! “Se o acúmulo de lixo permanecer nas ruas, a população continuar mal informada em como lidar com o animal, e o número de edificações for ampliado, a situação vai se agravar”, diz Randy Baldresca, biólogo e pesquisador. Sendo assim, o biólogo recomenda que os jovens utilizem calçados nos jardins e que o ambiente de casa esteja sempre limpo e livre de sujeira. “Evite deixar louça na pia da cozinha, retire o lixo do banheiro antes que ele acumule e tampe todos os buracos não usados da casa: tomadas não usadas, conexões de linha de telefone fixo, ralos e pias”, diz. “Assim, você diminui a entrada de baratas na casa, que são a principal fonte de alimentação dos escorpiões e grandes responsáveis pelo aparecimento deles nas  residências”.

O que eu fiz aqui em casa: fechei todas as tomadas não usadas com protetores de tomada, as de telefone fixo eu tapei com fita crepe mesmo. Também comprei uns protetores de ralo com tela na Leroy Merlin, o nome do produto é Ralo Protetor Paramax. Ele é colocado por baixo da tampa do ralo, e evita que bichos (até mosquito da dengue) subam pelo ralo (isso não é publi, é uma dica que deu muito certo para minha casa).

protetor-de-ralo-paramax-143-15x15cm-903711-MLB20609363372_022016-F

Outras medidas para proteção:

– manter as camas e os berços afastados, no mínimo, 10cm da parede;

– evitar que lençóis e mosquiteiros de berço toquem no chão;

– não deixar acumular lixo e entulho de obra nos quintais, jardins, terrenos baldios e ao redor das residências (se tiver feito obra em casa e tiver restos de material de construção que tenham sobrado e estejam armazenados, mude-os periodicamente de lugar);

– manter jardins e gramados aparados e bem cuidados;

– mesmo que o veneno comum não mate os escorpiões, mantenha a dedetização da sua casa em dia, pois ela mata as baratas, que são a principal fonte de alimento dos escorpiões;

– despeje água sanitária semanalmente nos ralos;

– antes de se vestir, bata os sapatos, luvas, bolsas, etc, sacuda as roupas (inclusive as de cama) para ver se não existem escorpiões dentro (eu sou psíca com isso!!! Sou a rainha da bateção de roupa e sapato antes de vestir!)

– recomendo fortemente que dêem uma estudada neste manual: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_controle_escorpioes.pdf . Ele foi uma ótima fonte de aprendizado para mim!

Como proceder em caso de acidente?
As medidas devem ser adotadas de imediato e o tratamento instituído o mais rápido possível após o acidente.
*O que fazer?
– Limpar o local com água e sabão;
– Procurar orientação médica imediata e mais próxima do local da ocorrência do acidente (postos de saúde, hospitais de referência – em Brasília, o hospital de referência é o HRAN).
– Se for possível, capturar o animal e levá-lo ao serviço de saúde pois a identificação do escorpião causador do acidente pode auxiliar o diagnóstico.

*O que não fazer?
– Não amarre nem faça torniquete;
– Não aplique nenhum tipo de substâncias sobre o local da picada (fezes, álcool, querosene, fumo, ervas, urina) nem faça curativos que fechem o local, pois podem favorecer a ocorrência de infecções;
– Não corte, perfure ou queime o local da picada;
– Não dê bebidas alcoólicas ao acidentado, ou outros líquidos como álcool, gasolina, querosene, etc, pois não têm efeito contra o veneno de escorpião e podem agravar o quadro.

Serviço
Em caso de ataque, ligue para 0800 6446 774 — Centro de Informação Toxicológica (orientação de primeiros-socorros em casos de acidentes); vá para o HRAN.
3341-1900 — Dival (para solicitar inspeção de animais peçonhentos, como o escorpião)

A Secretaria de Saúde do DF informa que a população pode denunciar focos de aparecimento de escorpiões pelo telefone 160.

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!