Empreendedorismo materno: Papinha Real

Empreendedorismo materno: Papinha Real

A gente adora ouvir histórias de empreendedorismo materno, daquelas que surgem da coragem de mães que pensam num negócio próprio para conciliar a maternidade e o sonho de trabalhar em algo que lhes dê renda, mas também a possibilidade de fazer seus próprios horários em prol de mais tempo com os filhos. Recentemente conhecemos a empresa Papinha Real, aqui de Brasília, que é um desses casos.

Ao introduzirem uma educação alimentar nutritiva e saborosa aos filhos desde cedo, as sócias Camila Montú (psicóloga infantil, mãe das princesas Alice e Lívia) e Débora Oliveira (psicóloga organizacional, mãe do príncipe João) sentiram falta de opções saudáveis e práticas no mercado para a alimentação das crianças. Notar que o estilo de vida corrido que a maioria das famílias hoje possui torna inviável a produção diária de alimentos saudáveis em casa, levando os pais a comprarem papinhas industrializadas por serem prontas e práticas, fez a ideia de abrir uma empresa que fornecesse as mesmas papinhas que elas davam aos filhos tomar mais força. Com o apoio de uma nutricionista especializada em nutrição materno-infantil, que aprovou todas as receitas como saborosas e balanceadas, nasceu a Papinha Real.

As papinhas são feitas de forma artesanal, enriquecidas nutricionalmente com óleo de coco ou óleo de linhaça (poderosos antioxidantes), com teor de sódio reduzido (a maioria 0mg sódio por potinho), e sem conservantes, corantes, espessantes (amido) ou quaisquer aditivos químicos que fazem mal à saúde do bebê a curto e longo prazo. Dessa forma, as papinhas se conservam exclusivamente pelo congelamento – com validade de 45 dias.

De acordo com as recomendações de nutricionistas e pediatras, o alimento dado ao bebê (relembrando: a partir do 6º mês de vida! Antes disso o bebê não precisa consumir nada além de leite materno!) não deve ser liquidificado ou processado, pois esse procedimento quebra as fibras dos alimentos (extremamente necessárias à saúde do sistema digestório), não acostuma a criança às diversas texturas dos alimentos, não estimula a musculatura e os movimentos da mastigação (podendo causar problemas odontológicos), além de dificultar a manutenção da base calórica necessária para suprir a demanda diária (o bebê teria que consumir uma quantidade muito maior de papinha para alcançar esse valor calórico, o que seria inadequado considerando o pequeno tamanho do seu estômago). Portanto, respeitando essa orientação, na Papinha Real, as papinhas dos níveis 1 e 2, são amassadas manualmente, uma a uma, sem utilização de qualquer tipo de equipamento que possa destruir as fibras dos alimentos ou torná-las líquidas. Todas as papinhas são isentas de glúten (proteína presente no trigo, cevada e centeio), para beneficiar também o público que apresenta intolerância ou alergia a essa substância. As papinhas de níveis 1 e 2 não contêm qualquer adição de sal, pois um bebê que inicia a introdução alimentar não sente necessidade alguma do sabor desse tempero para gostar do alimento, já que não conhece esse gosto. Além disso, o sal pode prejudicar a saúde renal do bebê. A quantidade diária de sódio recomendada a uma criança de 6 meses já é suprida pelo leite materno ou por fórmulas em pó. A partir dos 12 meses, as papinhas de nível 3 contêm uma pequena quantidade do sal rosa do himalaia, por seu baixo teor de sódio e presença de minerais essenciais à saúde da criança como o potássio, magnésio e o sulfato de cálcio

As embalagens são plásticas, por serem mais leves e constituírem a melhor opção para o congelamento, ao passo que o vidro pode expandir e explodir com o resfriamento. Além disso, como a principal prioridade é a saúde, são usadas embalagens livres de Bisfenol A (BPA), composto químico que pode ser prejudicial à saúde dos sistemas endócrino e reprodutor. Dessa forma, todas as tampas contêm lacres de vedação, que protegem o produto do meio externo e de vazamentos. Para todas as papinhas, o hortifruti utilizado é orgânico, ou seja, livre de agrotóxicos tão prejudiciais à saúde.

A Papinha Real tem a preocupação de oferecer às mães e pais a tão necessária praticidade sem abrir mão da saúde do seu príncipe ou princesa. A empresa oferece serviço de entrega em domicílio, no Distrito Federal, de segunda a sábado. Contato: http://papinhareal.com.br/contato/

selo_publieditoriais (1)

 

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!