leite-de-vaca2

Leite de vaca

Leite de vaca NÃO pode substituir o leite materno.

Leite de vaca pode substituir o leite materno?

Hoje vamos falar de um assunto um pouco polêmico: podemos dar o leite de vaca antes do primeiro ano de vida

Antes de mais nada, quero esclarecer que NÃO estamos nos referindo a fórmula infantil, que é adaptada a partir do leite de vaca sendo modificada para atender as necessidades nutricionais do bebê. Estamos falando do leite de vaca mesmo. Aquele que vem escrito “leite de vaca” na lata ou na caixinha.

Pois bem, preparem-se para um dado assustador: aproximadamente 70% dos bebês que não estão em aleitamento materno usam o leite de vaca integral como substituto do leite materno. Outro dado chocante: hoje aproximadamente 50 % dos bebês abaixo de 1 ano de idade apresentam Anemia Ferropriva.

E para quem não acredita em coincidência, vale ponderar que, recentemente, a renomada pediatra Ana Escobar, da USP, com mais de 30 anos de prática clínica de consultório e que também é autora de três livros, abordou esse assunto em diversos posts elucidativos em sua fanpage, onde afirmou:

“Bebês que tomam leite de vaca integral podem ter anemia. O ferro é essencial para a formação dos glóbulos vermelhos. O leite de vaca tem uma concentração de ferro baixa quando comparado ao leite materno. Para se ter uma ideia, seria necessário que um pequeno bebê tomasse 13 litros de leite de vaca para receber o ferro de que necessita para crescer com saúde e sem anemia”.

Ela também destaca que os bebês que tomam o leite de vaca integral no 1° ano tem chance muito maior de se tornarem adultos obesos no futuro pois a quantidade e qualidade de proteínas são inadequadas ao bebê. Estas proteínas em excesso aumentam a quantidade de tecido adiposo (gordura no corpo) induzindo à obesidade na vida adulta. A hipertensão também é citada pois o leite de vaca contém 4 X mais sódio que o leite materno.

Mesmo com diversos estudos sobre o assunto, vemos muitas mães afirmarem: “dei leite de vaca para os meus filhos e eles estão ótimos, fortes e saudáveis”. Mas não se esqueçam dos 50% dos bebês com Anemia Ferropriva (que interfere no crescimento e desenvolvimento cerebral do bebê) e das doenças à longo prazo como obesidade e hipertensão.

Também ouvimos comentários como: “Fórmulas infantis são caras. Não tenho dinheiro para comprar” etc. Mas queremos lembrar que existem diversas fórmulas disponíveis no mercado e algumas com preços mais acessíveis sim (investimento médio de R$6,54 por dia).

Portanto, converse sempre com o seu pediatra para que ele oriente a melhor opção de leite para o seu filho, lembrando que o leite materno além de ser o alimento mais perfeito para o bebê, ainda é gratuito e o campeão absoluto para garantir o crescimento saudável dos bebês.

Autoria de Iza Garcia
"Já quis ser 'médica de criança', pipoqueira e costureira. Cursei inglês, italiano, castelhano, mas só falo português. Fiz Direito e Ciência Política, e curto ser blogueira. Desde 11/10/2010 sou "MÃE DA BRUNA" e realizada ao descobrir algo p/ ser a vida inteira".