Novo livro infantil promete sono em minutos

Imagem Shutterstock. Cópia não autorizada. Criança dormindo após leitura.

Novo livro infantil promete sono em minutos

Livros que dão sono normalmente não são considerados bons livros. Mas se a ideia for acelerar o processo diário de colocar as crianças na cama, será sucesso garantido. É o caso do livro “O coelho que queria muito adormecer”, do psicólogo sueco Carl-Johan Forssen Ehriln, que vem liderando o ranking de vendas da Amazon dos Estados Unidos e Reino Unido e que se propõe ajudar as crianças (e os pais, claro) a relaxar e a adormecer mais rapidamente.

Traduzido em várias línguas, o livro, de 26 páginas, está sendo considerado “revolucionário” e tem ajudado milhares de pais em todo o mundo a colocar seus filhos para dormir. Segundo descrição, o livro é um modo encantador de indução do sono. “É uma maneira segura, inovadora e inofensiva para ajudar a criança adormecer e tem sido recomendado por psicólogos”. O “truque” está em usar palavras-chave, unidas à entonação, e bocejar ostensivamente nas palavras assinaladas no livro.

A obra tem  26 páginas e narra a história do Coelho Roger, que não consegue dormir. A Mãe Coelho decide então pedir a ajuda do Tio Bocejo, que possui uma fórmula mágica para induzir o sono. Durante o desenrolar da história, Roger ainda conhece os amigos Caracol Sonolento e a Coruja de Olho-Pesado, que lhe dão bons conselhos sobre como adormecer rapidamente.

ATUALIZAÇÃO EM NOVEMBRO/2015: 

12063465_10153129953851408_7254969116561765869_n

Em novembro, chega às livrarias a versão em português do Brasil de “O coelhinho que queria dormir”, um livro testado e aprovado por milhares de famílias do mundo todo.
Confira a pré-venda do livro:
Saraiva Onlinehttp://bit.ly/1LIJ4DF
Livraria da Travessahttp://bit.ly/1RZyHQd
Amazon.comhttp://bit.ly/1Xn3lWA

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!