A melhor fórmula infantil

Imagem ShutterStock. Cópia não autorizada. Criança tomando leite.

A importância da proteína para o crescimento e desenvolvimento do bebê.

Vocês sabiam que a proteína é o nutriente mais importante do leite materno quando falamos de crescimento e desenvolvimento infantil? E considerando a importância desse tema, compartilhamos com vocês algumas dicas sobre a importância das proteínas no organismo do bebês:

– crescimento e desenvolvimento corporal: os bebês crescem mais do que no resto de toda a sua vida: aproximadamente 20 centímetros no primeiro ano e a proteína pode influenciar na altura, peso e na composição corporal (massa magra e massa gorda);

– ganho de peso adequado: as proteínas são capazes de interferir no metabolismo como, por exemplo, no adequado ganho de peso;

– fácil digestão e rins: podem influenciar a digestão e funcionamento dos rins;

– prevenção de alergia: podem reduzir o risco de desenvolvimento da alergia na pele;

– defesa do organismo: podem modificar a composição da flora intestinal.

Outro dado interessante: As proteínas são as substâncias em quantidade mais abundante no nosso corpo depois da água e equivalem a até 44% da musculatura em adultos.

Isso quer dizer que quanto mais proteína melhor? Não. Tanto a falta de proteínas como seu excesso são bastante prejudiciais aos bebês.

A falta da proteína pode trazer problemas para o desenvolvimento e crescimento do bebê. No entanto, também existem dezenas de estudos que provam a relação entre o excesso de proteínas e a obesidade infantil – devido ao aumento da insulina e de inúmeros outros hormônios, por exemplo.

Também é importante registrar que nem toda proteína é igual e que os tipos de proteína se diferem de acordo com a quantidade e qualidade dos aminoácidos essenciais, que o corpo não pode produzir sozinho.

E aí, mais uma vez, é preciso reconhecer que o leite materno é perfeito também em relação ao aspecto proteico, já que ele possui a melhor proteína e na quantidade ideal que o lactente precisa (nem a mais, nem a menos).

Quando comparamos o leite materno com o leite de vaca, por exemplo, encontramos neste 5x mais proteínas do que no leite materno, além de uma qualidade inferior.

No entanto, na comparação nutricional entre o leite de vaca e as fórmulas infantis, é importante registrar que estas contam com a total modificação da proteína, na tentativa de se aproximarem da composição do leite materno. E quanto mais se aproximam da composição do leito humano, melhor se classificam.

E quando me perguntam qual é a melhor fórmula infantil ou qual é a fórmula que eu dei ou dou para a minha filha, eu prefiro responder que algumas contam com a proteína parcialmente hidrolisada (quebrada) que, comprovadamente, oferece melhor absorção e digestão, garantindo uma menor probabilidade de cólicas e desconfortos, além de também diminuírem os riscos de obesidade futura e alergia alimentar.

E isso é fácil de entender: o leite materno tem a proteína materna (aquela que é perfeita!). A fórmula não. Então, se a proteína for quebrada, diminui a chance do bebê estranhar esta proteína “teoricamente estranha”.

Por tudo isso, é muito importante consultar o pediatra na hora de escolher a melhor fórmula infantil depois que ocorre o desmame. O leite de vaca antes do 1° ano de vida, por exemplo, NÃO é indicado e as melhores fórmulas infantis são aquelas que se aproximam do leite materno.

Programar um futuro saudável desde o começo é um presente para toda a vida!

 

Autoria de Iza Garcia
"Já quis ser 'médica de criança', pipoqueira e costureira. Cursei inglês, italiano, castelhano, mas só falo português. Fiz Direito e Ciência Política, e curto ser blogueira. Desde 11/10/2010 sou "MÃE DA BRUNA" e realizada ao descobrir algo p/ ser a vida inteira".