Imagem ShutterStock. Cópia não autorizada.

roteiro-baby-amor-de-mae-shutterstock

Imagem ShutterStock. Cópia não autorizada.

 

Sabe aquela sensação ma-ra-vi-lho-sa que vivemos quando abraçamos nossos filhos e sentimos aquele cheirinho gostoso do pescocinho deles? Quando a gente até suspira ao sentir esse tal cheirinho e nosso peito se enche de um amor que parece não caber no peito? Quando, nessas situações, o nosso coração se enche de uma sensação de paz e tranquilidade que nos acalma e faz tudo valer a pena?!

Isso tudo tem nome! Pai e mãe costumam de chamar de AMOR. Maior amor do mundo. Mas a ciência chama de ocitocina (ou oxitocina) ou também de hormônio do amor.

Trata-se de um hormônio liberado pelo cérebro de homens e mulheres e seus benefícios são positivos para a saúde física e mental. Seu lançamento no corpo promove fortes vínculos nos relacionamentos e suas vantagens podem ser sentidas durante até duas semanas.

E o bacana é que é possível aumentar os níveis de ocitocina no corpo com algumas ações! (objetivo desse post).

Níveis de ocitocina no organismo são secretadas a partir do cérebro após o nascimento da criança e, particularmente, quando a mãe está amamentando. O hormônio causa bem estar, cria laços fortes entre a mãe e o bebê e  também  estimula os sentimentos de amor, atração, carinho, proteção, bondade, excitação, além de criar boas relações entre amantes e amigos.

Para a saúde, os benefícios são muitos. Dentre eles, podemos dizer que o hormônio é capaz de atuar como um anti-inflamatório, protegendo o sistema cardiovascular contra os danos potenciais do estresse e contribuindo para a redução dos níveis de cortisol – o “hormônio do estresse”, com efeitos supressores do sistema imunológico.

A ocitocina ainda não está disponível como um medicamento de prescrição no presente. Estudos científicos sobre ratos descobriram que a ingestão de comprimidos ou injetando a ocitocina tem um efeito muito curto prazo, antes de ser eliminado do corpo. Sprays nasais foram também utilizados, mas novamente os efeitos são de curto prazo. Afigura-se, portanto, que a melhor fonte de ocitocina é a que é segregada a partir do próprio cérebro e é por isso que eu quis escrever aqui algumas dicas estimulantes para que vocês pratiquem ações que estimulam o cérebro a liberar ocitocina:

– Amamentar

– Relação sexual  (a ocitocina é liberada durante o orgasmo)

– Comer alimentos de conforto: Comer sua comida favorita, como chocolate, sorvete ou qualquer refeição que você realmente gosta vai liberar ocitocina.

– Ser gentil com os outros: Aquele sentimento que você conhece quando diz ou faz algo de bom para outra pessoa é devido à liberação de ocitocina.

– Massagem: Durante o relaxamento muscular e toque, a ocitocina é liberada.

– Cercar-se de grandes amigos aumenta a ocitocina.

– Meditação: Meditar diariamente por 20 minutos aumenta a ocitocina.

– Acupuntura: Esta medicina alternativa tem sido comprovada para aumentar os níveis de ocitocina.

– Animais de estimação: Ter carinho por um animal de estimação libera ocitocina.

– Fazer contato físico com os outros, como um abraço carinho, beijando e tocando todos produz liberação da ocitocina.

Portanto, SIM! Aquilo que a gente já sabia, instintivamente, está comprovado pela ciência: encher os filhotes de carinho faz muito muito bem para a saúde, deles e nossa! Produz ocitocina que, por sua vez, diminuiu o estresse e proporciona uma série de outros benefícios!

Eu já aderi à terapia do amor e estou viciada em ocitocina!  

Autoria de Iza Garcia
"Já quis ser 'médica de criança', pipoqueira e costureira. Cursei inglês, italiano, castelhano, mas só falo português. Fiz Direito e Ciência Política, e curto ser blogueira. Desde 11/10/2010 sou "MÃE DA BRUNA" e realizada ao descobrir algo p/ ser a vida inteira".