Para Mamães, Para Papais, Reflexões

Carta à mãe que vai deixar o filho pela primeira vez na escola

shutterstock_144699286

Imagem ShutterStock. Cópia não autorizada.

Para muitas mães, 2015 começa com uma novidade: a adaptação escolar dos filhos. Para algumas, está sendo esta semana. Para outras, será na semana que vem. Eu e Iza já passamos por essa situação, é uma daquelas que dá uma sensação boa e ruim ao mesmo tempo: boa porque é muito legal ver nossos filhos desbravando algo novo, e ruim porque fica aquela pontinha de “será que vai dar tudo certo?”. Então ontem quando li o texto abaixo no blog da Rita Lisauskas no site do Estadão, achei que era uma mensagem perfeita para passar às mães que estão vivendo essa situação pela primeira vez. Reproduzo:

Oi. Eu sou você amanhã. Sim. Passei exatamente pelo que você está passando, só que há alguns poucos anos. Por isso, sinta-se abraçada, porque é isso que você precisa agora.

Você vai ficar em dúvida se está agindo certo, afinal seu filho acabou de fazer dois anos. Vai lembrar que sua mãe só te colocou na escolinha quando você completou quatro. Ela, ao contrário de você, não trabalhava. Talvez porque não precisasse, talvez porque não quisesse. Você quer e/ou precisa, ou seja, assunto encerrado. Uma culpa a menos na sua lista infinita de culpas. (Talvez você se culpe por colocar seu filho na escolinha tão cedo, mesmo optando não trabalhar. Ou talvez você se culpe por não sentir culpa. Perdoem-se todas e ponto final.)

Olhe para os lados. Há mães e pais passando pelo mesmo que você. Há mães angustiadas porque, olha só, o filho nem olhou para trás quando a professora o levou. Há pais com lágrimas nos olhos porque, olha só, o filho deu um escândalo na hora de ir com a professora.  ”Será que ele não é apegado a mim?”, martiriza-se a primeira mãe. “Será que o criei dependente demais?”, chicoteia-se o pai. Fique à vontade para sentir o que for sentir: você está entre iguais.

Pode puxar conversa sem medo. Grandes amizades sairão desse grupo de pais, acredite em mim. Aquela mãe que você achou logo de cara que não tinha nada a ver com você poderá ser a que te dará os conselhos mais sábios e virará sua nova melhor amiga. Ela deixa o filho comer doce todos os dias, é medrosa e super protetora ao seu ver mas, pasme: você vai finalmente descobrir que existem várias formas de maternagem e que ela é a melhor mãe que aquele menino podia ter. (Não é só seu filho que vai aprender coisas novas, percebeu?). Essa mãe vai te acalmar na porta da escola quando você cismar que seu filho é muito inseguro, mandará mensagem lembrando a data da reunião de pais e salvará sua pele vez ou outra quando você estiver presa no trânsito “pelamor-de-Deus-faz-companhia-para-o-meu-filho-até-eu-chegar?” Um segredo: Você fará o dobro por ela, com um sorriso nos lábios de felicidade por a vida ter te apresentado alguém tão legal e tão diferente de você.

Os dias vão passar rápido. Seu filho vai gostar cada vez mais do lugar que você e seu marido escolheram para ele. “Hoje não tem escola, mamãe? Por quê? Mas eu ‘quelo’ ir!” Lá ele fará suas primeiras amizades. Confiará e amará alguém que não seja você ou o pai. Descobrirá coisas, sem a sua ajuda tão necessária até então. Estou falando desse lugar privilegiado chamado FUTURO e por isso, o aviso: aperte os cintos para chegar até aqui, porque a cada dia que passa vai ficar claro, muito claro, que vocês cortaram o cordão umbilical. E quando você achar que a adaptação já passou e estamos todos muito bem, obrigado, chega o dia do primeiro passeio com a escola. Seu filho vai sair com os amigos de 4 anos! Respire. Expire. Respire. Expire. Avançamos demais até aqui e você não está preparada para o próximo passo. Deixemos esse assunto para outro post.

[Por Rita Lisauskas]

29 Comentários

  1. Fabiana

    28 de janeiro de 2015 at 07:21

    Sou Mae solteira ha dois anos.
    Coloquei meu filho na escola com 3anos.
    Eu me sentia culpada pensando q ele achasse q eu tbm estaria abandonando ele assim como o papai. Mas minha mae e a pediatra conversaram comigo q pra ele ia ser bom.
    Foi mto dificil, mas com o tempo eu vi q realmente tava sendo bom pra ele.
    Hj ele esta com 4 aninhos, vai para o primeiro periodo.
    Tah todo animado!

  2. Deisiane

    28 de janeiro de 2015 at 07:56

    Sou mãe de um menino que acaba de fazer dois anos e já foi para a escolinha, nos primeiros dias ele chorava só um pouquinho na hora da entrada, eu ficava do lado de fora ouvindo se ele não iria parar de chorar mas ele logo parava e eu ia embora super tranquila. O problema era na hora de buscá-lo, ele chorava de emoção gritando MAMÃE. Mas agora já tem três semanas e meia e ele vai tranquilo e sai tranquilo também, e quando não vai à escola ele chora pedindo ( icó, icó) do jeito dele querendo falar escola.

  3. Roberta Santos Marques de Souza

    28 de janeiro de 2015 at 08:03

    Oi Bom dia!!! Primeiramente quero te agradecer pelo texto lindo que voce escreveu. Estou em lágrimas pois tudo isso que estou passando. Estava precisando escutar e entender se só eu estava sentindo e passando por esta situação. Minha filha tem 2 anos e mês e seu primeiro dia de aula é na segunda feira. Obrigada mais uma vez.

    1. Mari Oliveira

      28 de janeiro de 2015 at 09:38

      Obrigada! Este texto está reproduzido aqui. Ele é de autoria de Rita Lisauskas 🙂

  4. Herika

    28 de janeiro de 2015 at 08:04

    Sou mãe de um menino lindo de 2 anos e este será o seu primeiro ano na escola, mas um detalhe, eu sou professora nesta escola também, além de mãe, fui tentar leva-lo para a colônia de férias que está tendo lá, e não foi uma boa experiência, pois ele chorou o tempo todo e ao me ver lá com outras crianças, queria que eu ficasse só com ele… o que fazer? Preciso muito de uma direção… não posso atrapalhar meu trabalho, não posso atrapalhar a professora dele, mas não quero ver meu filho assim, ele não quer nem se alimentar, e vou trabalhar da 7 da manhã até às 6:30 da tarde, pois lá tem integral, e ele ficará o dia todo sem se alimentar… me ajude!

    1. Mari Oliveira

      28 de janeiro de 2015 at 09:43

      Fique um pouco mais calma, não mostre insegurança a ele. Respire fundo. Nossas crianças sentem o que sentimos. Vai dar tudo certo, acredite na escola onde você trabalha, acredite na profissional (sua colega) que está com ele. É uma fase que passa. Boa sorte!

      1. Herika

        28 de janeiro de 2015 at 22:11

        Muito obrigada pelas sábias palavras, querida! Farei isso mesmo…

    2. Claudia

      28 de janeiro de 2015 at 09:46

      Herika….converse com ele todo dia!..vá mostrando à ele como a outra tia é super legal!e quantas crianças tem com ela!…diga que o ama…e passe paz à ele!…seu coração ficará mais tranquilo!!..

      1. Herika

        28 de janeiro de 2015 at 22:13

        Cláudia, meu esposo disse o mesmo que você… É muito sensato… muito obrigada, querida!

  5. Gisele

    28 de janeiro de 2015 at 08:22

    Meu Deus estou a uma semana deste momento e acho que este post resume bem essa minha insegurança deste tão esperado momento, meu filhote está crescendo e eu estou tentando me adaptar que ele não é mais tão dependente de mim,que agora ele terá um novo ciclo de amizades do qual eu nem sei quem são, terá ajuda de uma professora que eu nem imagino como vai cuidar dele se ela dará colo quando ele estiver com medo se conversará com ele quando houver briguinhas de amigos…e enfim será uma nova etapa na nossa vida estou feliz e ao mesmo tempo com medo não estarei lá isso é o que assusta.
    Sei que ele será bem cuidado,que será bom para o aprendizado e para o crescimento e isso conforta o coração aflito de uma mãe que levará seu filho para escola pela primeira vez.

  6. Rosilene

    28 de janeiro de 2015 at 08:23

    Ola, minha filha esta com 3 anis e meio e este sera seu primeiro ano na escola, me sinto feliz e insegura ao mesmo tempo, temo não olharem ela direito, temo ela cair e se machucar e eu não esta lá por perto , ao mesmo tempo me sinto feliz porque ela precisa de conviver com outras crianças já que é filha única, mas na maior parte das vezes me sinto com mais temor porque temo ela precisar de algo e eu não estar lá .

    1. Joseane

      28 de janeiro de 2015 at 10:49

      Nossa… É exatamente isso que eu sinto também!
      Ao mesmo tempo que sei que será uma nova experiência pra ela , também sinto muita insegurança, se estou fazendo isso no tempo certo, ela tem 4 anos, mas meu trabalho é na minha casa, posso trabalhar e estar perto dela. Esse momento está sendo muito difícil pra mim.

  7. Claudia

    28 de janeiro de 2015 at 09:01

    Chorei só de ler!!…tão eu!!..já sofri so de ir procurar escolinha pra ele!tenho um bb hj com 1ano e 3 meses!e ano que vem sera a vez dele ir pra escola!..hjele fica com um anjo amiga confiavel da familia!

  8. Alessandra

    28 de janeiro de 2015 at 09:55

    Nossa que publicação bacana de incentivo! Chorei de emoção!
    Bem, minha filha tem 2 anos e 8 meses, vai entrar ina escola este ano, eu estou muito insegura se vai dar certo ou não, mas lendo esta carta da Mari me incentivou!
    Tudo sera muito novo para mim e para ela,mas com certeza nos sairemos muito bem nesta nova fase!

    1. Mari Oliveira

      28 de janeiro de 2015 at 13:54

      Oi Alessandra, a carta é de autoria de Rita Lisauskas. Nós reproduzimos aqui.
      Fique tranquila, a adaptação escolar vai dar certo!
      Abração!

  9. Marcely

    28 de janeiro de 2015 at 12:24

    Dia 2 minha filha começa no maternal, meu coração está apertado e cheio de dúvidas como: ela ainda não desfraldou, será um problema?! Ela ainda não come sozinha, será um problema? Será é a palavra mais constante em mim nesses dias. Tenho uma menina linda de 2 anos e meio que até agora éramos eu e ela durante o dia e com o maridão a noite… Vou sentir saudades desse tempo que passou tão rápido.

    1. Mari Oliveira

      28 de janeiro de 2015 at 13:53

      Marcely, a minha filha Júlia entrou na escola sem desfraldar e sem comer sozinha. Na minha experiência, a escola tem sido ótima para alimentação porque ao ver os coleguinhas comendo a criança come também. Na escola da Júlia o desfralde não é condicionado à idade, então foi bem tranquilo, no tempo dela. Converse muito na escola sobre suas dúvidas. Professoras e coordenadoras devem ser suas parceiras neste momento, vocês formam um time agora. Boa sorte!

  10. Jotaly Jacob

    28 de janeiro de 2015 at 14:35

    Que post maravilhoso! Falta apenas uma semana para que esse momento aconteça em minha vida (e na do meu filho) e é realmente importante é necessário para nós, mãezinhas preocupadas, percebermos que compartilhamos dos mesmos medos e que essa experiência acaba sendo positiva, por mais difícil que possa ser… Obrigada por compartilhar esse texto lindo!

  11. Adriana

    28 de janeiro de 2015 at 15:07

    Olá!
    Sou mãe do Miguel, que fará dois aninhos mês que vem. Estou vivendo esse “período de adaptação”. Está sendo muito difícil, confesso, talvez mais pra mim do que pra ele! No primeiro dia entrei na sala com ele, ele ficou muito a vontade, pegou brinquedos, interagiu com as outras crianças, parecia que eu nem estava lá. Aproveitei que ele estava entretido e saí da sala. Esperei do lado de fora por alguns minutos, e este foi o primeiro golpe! Quando ele percebeu que “eu não estava mais lá” começou a me chamar, e então entrou em desespero e começou a chorar intensamente. Nesta altura já estava me esvaindo em lágrimas. Fui embora com a sensação de que tinha “abandonado meu filho numa jaula de leões”. Foi o primeiro pior dia da minha vida! Me consolava pensar: amanhã será melhor, mas preciso confessar, não foi. No segundo dia ele já estava safo, ficava me chamando pra acompanhá-lo em todo lugar que ia, não queria me perder de vista. Ele se distraiu brincando no ‘parquinho” da escola, então, mais uma vez, saí de fininho (mas não fui forte o suficiente para segurar as lágrimas, pois aquela sensação ruim continuava). Hoje foi o terceiro dia e o mais difícil, pois ao chegarmos na frente da escola ele já pediu para ir embora! Entrei com ele novamente. Decidi usar a sugestão da minha chefe de ao invés de sair de fininho dizer a ele que iria trabalhar e a vovó o buscaria mais tarde! Meu Deus! O que eu fiz? Ele começo a chorar, pedir colo, e me agarrar. Não me soltava por nada, e chorava se alguém tentasse pegar ele. Nem falar com ele podia. Não tinha jeito, eu precisava vir trabalhar. Pedi pra “Tia” pegar ele, então ele chorava desesperadamente pendurado ao meu pescoço. Mais uma vez caí no choro, só que agora pior, na frente dele. Pensei, pronto, perdi a batalha. Ao mesmo tempo pensei: não, não posso me entregar, respirei fundo, pedi pra “Tia” pra buscarmos uma bola (ele adora bola). Pegamos várias bolas coloridas, mas o medo não o deixava se concentrar. Saí com ele chorando e chamando por mim, e com o coração partido novamente. Bom, espero que essa fase acabe logo. Amanhã é um novo dia e espero conseguir ser mais forte para fazê-lo sentir segurança. É um momento muito difícil, mas sei que não sou a única que estou passando por isso. Acredito que no final tudo vai ficar bem, é nisso que me apego para seguir em frente. Sei que, embora esta sensação ruim exista, ela não é verdadeira, pois a escola será muito saudável para ele. E em nome do amor que sinto por ele, que só quer seu bem, vou persistir e volto para contar o final desta história.

    1. Mari Oliveira

      28 de janeiro de 2015 at 15:12

      Concordo com a sua chefe: não saia de fininho. Avise que vai sair, e deixe sempre muito claro que ou você ou alguém volta para buscá-lo. Enfatize as diversões da escola (foi genial essa ideia da bola!). Nossos filhos são fortes e essa etapa faz parte do crescimento. Boa sorte, vai dar certo!!

  12. Aline

    28 de janeiro de 2015 at 15:17

    Oi, Como todas a s mães vou passar por essa experiência amanhã 29-01 pela primeira vez…estamos animados e os preparativos todos ok fizemos tudo juntinhos! Eu acredito muito que será tranquilo pois ele fica muito bem sem nós! Mas as vezes as coisas não acontecem como queremos ou pensamos! To ansiosa e com muito medo, insegura e feliz … tudo ao mesmo tempo! Ele já tem 3 anos e 5 meses e esta na hora, sei que será o melhor pra ele, brincar, tarefas e amigos! Vida independente…e mamãe sofrendo por antecedência …a vida é assim! Boa sorte a todas nós!

  13. andreza

    28 de janeiro de 2015 at 16:39

    nossa essa carta esta me ajudando bastante vou viver essa experiência dia 02 sei que não vai ser fácil eu converso com meu filho digo que ele vai pra escola,que ele não tenha medo que a gente vai deixar ele na escola mas vai buscar ele quando terminar a aula.Ele já vai fazer três anos dia 31 e minha sogra disse que só era pra ele ir com quatro anos mas eu achei melhor colocar ele logo. No dia da matricula dele eu levei ele comigo e ele gostou muito.

  14. Amanda Figueiredo

    28 de janeiro de 2015 at 23:05

    E aqui em casa a tristeza começará bem mais cedo, João Alberto terá acabado de completar
    8 meses e iniciará na creche. Meu alento, minha mãe estará por lá todos os dias, pois é vice diretora
    mas mesno assim, me emociono e sofro em pensar que meu bebê, que mal saiu de meu ventre
    será exposto a uma grande sociedade. Enquanto professora, penso na importância da interação desde a
    mais tenra idade, porém meu lado mãe grita de desespero e incertezas. E o que farei com aquelas mamadas após a tarde? E como passarei minhas manhãs sem ver aquele lindo sorriso na hora do Mais Você?!
    Mochila comprada, etiquetas compradas, mas uma insegurança monstro me rodeia.
    Não têm jeito, precisaremos nos adaptar! Boa sorte a todas nós que vivenciamos esse marco importante e lembre-se ele ainda nos amam.

  15. Bruna Costa

    29 de janeiro de 2015 at 08:18

    Ela fala de deixar o filho com 2 anos. E eu que deixarei minha bonequinha na creche com 5 meses, daqui há 2 semanas?! Mas foi uma excelente leitura. Pelo menos uma nova visão.

  16. janaina

    29 de janeiro de 2015 at 14:32

    sou mae de um menino de 1ANO E 9 MESES,hoje foi seu primeiro dia de aula,mas pra mim foi o pior dia….ele chorou muito,o jardim ligou pra eu ir busca-lo.fiquei com os sentimentos confusos,pois minha filha de 6 anos frequentou o mesmo jardim até ano passado,entao ele ja estava acostumado com o ambiente….achei um pouco estranho esse tipo de reaçao dele….

  17. Meirieli Borges

    29 de janeiro de 2015 at 14:56

    Li e já chorei… Nem posso imaginar como será no dia 03/2! #FortesEmoções

  18. Lúcia Helena Faria

    29 de janeiro de 2015 at 23:36

    Deixo aqui meus sinceros agradecimentos à Rita Lisauskas por sua linda carta endereçada às mamães que deixarão seus filhos na escola pela primeira vez, e à Mari Oliveira por compartilhá-la conosco. Sou avó de uma pequeNINA (é assim que costumo chamar nossa Maria Eduarda) que, com seus um ano e nove meses, viverá em poucos dias esse momento tão importante para a sua e as nossas vidas. Confesso-lhes que meu coração de avó não está menos apertado que o da minha minha filha Michelle, mãe dedicadíssima. Obrigada “meninas” (Rita e Mari), vocês trouxeram um pouco de alento e tranquilidade para nós. Abraços da Vovó Lúcia, Mamãe Mimi e Papai Cacá.

    1. Mari Oliveira

      30 de janeiro de 2015 at 09:01

      Obrigada pelo seu recado, Lúcia! Vai dar certo!! Fiquem tranquilos! 🙂

  19. Melhores textos sobre maternidade: Fevereiro de 2015 — Roteiro Baby

    28 de fevereiro de 2015 at 07:00

    […] acima, publicamos em fevereiro textos ótimos que circularam em grandes mídias nacionais: “Carta a uma mãe que vai deixar o filho pela primeira vez na escola“, por Rita Lisauskas, e “Mainha me ensinou“, por Maria […]

Comente!