3510fd45ac2ded4e2b382c4161eee84f

3510fd45ac2ded4e2b382c4161eee84f

A partir de outubro, Adriano Siri e Adriana Nunes, dois dos integrantes do grupo de humor Os Melhores do Mundo, de Brasília, colocarão no ar a www.radiowebkids.com.br, que veiculará conteúdo centrado em música e literatura para os pequenos, com idades entre recém-nascidos até a aproximadamente 10 anos.

Além do áudio, o site trabalhará com vídeos, animações e interatividade. Algumas das animações foram preparadas a partir de obras do cancioneiro popular e são belas e divertidas. Foram musicadas por Marcelo Linhos, com ilustrações de Adriana Nunes, projeto gráfico de Claudia El-Moor e fotografia de Nicolau El-Moor, grupo que tocará a linha de frente da rádio na net.

Segundo Adriana Nunes, a rádio realizará também leituras e dramatizações de narrativas dedicadas a crianças. Grupo de atores de Brasília já está gravando os conteúdos. Alessandra Roscoe, autora de vários títulos infantis, entre eles “Jacaré Bilé” (Biruta), ilustrado por Italo Cajueiro, autorizou o uso de algumas obras para serem transformadas em áudio. O humor será ingrediente importante, mas não fundamental. “O humor estará presente, pois é preciso oferecer dinamismo e descontração, principalmente na informação, e ele é uma chave para isso”, explica Adriano Siri.

Radiowebs dirigidas a crianças existem em muitos países e sob diferentes formatos. Adriano Siri conta que as seguintes experiências lhe inspiraram: a australiana Funky Kids Radio (http://www.funkykidsradio.com.au), dedicada à música; a canadense CBC (http://www.cbc.ca/kids), cujas animações musicadas para bebês até três anos são bastante engraçadas; a norte-americana Nick-radio, que se estende a adolescentes e é forte em música e games (http://www.nick.com/nick-radio), e a londrina Funkids (http://www.funkidslive.com), a mais preocupada com literatura, pois oferece audiolivros e conversas com escritores dedicados ao infantil e juvenil.

No Brasil, segundo a jornalista Elza Pires, que realizou levantamento sobre “radiowebs”, a experiência mais longeva é tocada no Projeto Casa Grande, que existe há 22 anos na região do Cariri, sul do Ceará, na cidade de Nova Olinda (12 mil habitantes). Na http://www.radioestoria.wordpress.com, crianças pensam toda a programação, produzem, gravam e divulgam. O Radioestoria recolhe e registra lendas, mitos e outras narrativas ficcionais da região, transformando o material em peças radiofônicas.

Ainda segundo a jornalista, no continente africano são identificadas experiências bem-sucedidas de uso da ferramenta web voltadas a crianças, em especial em Mocambique e Angola. No primeiro país, no Distrito de Angoche, programa financiado pela Unicef é totalmente feito por crianças e transmitido nos finais de semana na Rádio Parapato, que é comunitária. Em Angola, 16 províncias transmitem com regularidade programas feitos por crianças para outras crianças. Elas contam casos, leem narrativas, apresentam músicas, conversam e discutem temas que lhes interessam.

De acordo com o levantamento, nos países europeus grandes emissoras criaram ambientes para crianças em radiowebs. A londrina BBC (http://www.bbc.co.uk/history/forkids) centra seus programas na história do país e em aventuras do passado. Na Alemanha, o destaque é para adaptações de obras como “A Flauta Mágica”, de Mozart, que se torna mais acessível ao universo infantil. Os programas são veiculados pela estatal Deustch Radio Kultur (http://www.radio.de/thema/kinder).

Filtro – Na Espanha, a Babyradio (http://www.babyradio.es), que também atua no México, entrou no ar em 2012 como a primeira rádio “on-line” do país. O repertório, centrado no educativo e no lúdico, apresenta muitos contos infantis destinados à garotada entre zero e seis anos. “Na França e em Portugal surgiu, recentemente, por iniciativa de pais preocupados com a Internet e seus conteúdos, um sistema operacional pago — a preço bem acessível — que se chama Potati”, conta Elza Pires. Por ele, crianças entre zero e 12 anos podem navegar tranquilamente, ouvir histórias pela radioweb e até jogar sem perigo, pois o conteúdo é todo filtrado e direcionado.

Se no Brasil, o monitoramento da sociedade sobre o que é consumido pelas crianças na Internet ainda é pequeno, nos países europeus, pais e autoridades se preocupam mais com a possibilidade dos conteúdos serem desvirtuados e, assim, exercem maior vigilância. Por isso, programações costumam ser produzidas e supervisionadas por especialistas. Professores, educadores e artistas se juntam para pensar a melhor maneira de encaminhar temas, ressalta a jornalista. Foi por escutar conteúdos inadequados para crianças em emissoras comerciais de rádio, quando levavam os filhos pequenos à escola, que Adriano Siri e Adriana Nunes tomaram a decisão de criar a rádio que só se preocupará com crianças.

Adriana, que, em Os Melhores do Mundo, atua e é encarregada de cuidar dos figurinos e cenários, há anos deseja dar vazão à atividade de ilustradora – quando não está em cena, ela dirige uma oficina de criatividade para crianças em Brasília – e fazer uso mais sistemático da coleção de livros infantis que formou ao longo de anos. Coleção que será incrementada com a ida do casal de comediantes à 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontece de 22 a 31/08, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. O evento de 2014 terá mais de 100 atividades para crianças e jovens, excluídas as oferecidas pelas editoras.

[Fonte: O Globo]

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!