roteiro-baby-palco-giratorio-2014

roteiro-baby-palco-giratorio-2014

O melhor da arte cênica nacional está em Brasília. É a 17ª edição do Palco Giratório, que traz para o palco do Teatro Sesc Garagem (913 Sul) espetáculos de todo o país entre os dias 4 e 20 de julho.

O festival tem como objetivo difundir as artes cênicas brasileiras e democratizar o acesso à cultura. O projeto possibilita trocas de experiências e intercâmbio entre artistas e a plateia, valorizando sempre a educação e cidadania dos espectadores. Ao longo de seus 17 anos de existência, o Palco Giratório se consolidou no cenário cultural levando uma grande variedade de gêneros e linguagens artísticas para um público de mais de três milhões de pessoas. Ao todo, já foram 6.175 apresentações com teatro de rua, circo e dança, entre outras linguagens artísticas em instalações do Sesc, praças e outros espaços urbanos.

Este ano, o Palco Giratório levará 768 apresentações artísticas e mais de 1.200 horas de oficinas a 126 cidades – muitas delas de forma simultânea. Todos os estados serão percorridos, o que contribui para uma política de descentralização e difusão das produções cênicas no país.

Em Brasília, serão 11 espetáculos, de oito estados brasileiros.

A entrada para os espetáculos é franca e os ingressos serão distribuídos uma hora antes de cada peça.

Programação Palco Giratório 2014 (as apresentações acontecem sempre às 20h30): 

4/7 – Anônimos (PE)
Anônimo é um homem atônito. Vive sozinho, mas não se sente só. Não por demasiado amor-próprio, antes talvez por total falta de emoção. Nada parece comovê-lo. Anônimo não é um “sem-nome” — possui um! —, embora não se recorde… Mas isso não o aflige, não é uma informação relevante em sua vida. Vida? Sobrevida seria mais adequado ao que Anônimo faz de seus dias. Atravessa os dias como quem atravessa a rua, para chegar ao outro lado.
Grupo Peleja
40 minutos
Drama
Classificação indicativa: 12 anos

5/7- Anônimos (PE)
Anônimo é um homem atônito. Vive sozinho, mas não se sente só. Não por demasiado amor-próprio, antes talvez por total falta de emoção. Nada parece comovê-lo. Anônimo não é um “sem-nome” — possui um! —, embora não se recorde… Mas isso não o aflige, não é uma informação relevante em sua vida. Vida? Sobrevida seria mais adequado ao que Anônimo faz de seus dias. Atravessa os dias como quem atravessa a rua, para chegar ao outro lado.
Grupo Peleja
40 minutos
Drama
Classificação indicativa: 12 anos

6/7 – Louça Cinderela (RS)
Inspirada em Gata Borralheira dos Irmãos Grimm, escrita no século XIX, essa adaptação sintética da Cia. Gente Falante convertida em teatro narrativo com objetos conta a história de Cinderella, uma xícara de louça comum, sem adornos ou valor histórico, porém com conteúdo especial, sempre cheia de chás aromáticos e curativos prontos para esquentar quem estivesse necessitado em noites frias do inverno. Uma divertida e poética adaptação brasileira criada para compartilhar com o pequeno público as delícias de um “chá das cinco”.
Cia. Gente Falante
20 min
Classificação indicativa livre

7/7 – Oficina Louça Cinderela

8/7- Do Repente (TO)
Do repente é um espetáculo destinado à rua e que engloba as linguagens da dança e do teatro, cuja poética foi elaborada em torno do universo do romanceiro popular do Nordeste brasileiro — nas figuras do poeta cantador, do coquista, do aboiador, do glosador, do cordelista, do calungueiro — e da influência e presença dessa cultura na formação das “diversas culturas” brasileiras. A proposta consiste em uma releitura que relaciona o universo do romanceiro popular nordestino com o universo urbano e globalizado da atualidade no intuito de produzir uma experiência estética diferenciada para o público. Seu processo de criação inclui pesquisas sobre commedia dell’arte, uso das máscaras na construção de personagens e movimentação articular, existente na manipulação de títeres.
Lamira Artes Cênicas
35 min
Dança
Classificação indicativa livre

9/7- A Falecida (DF)
Tema adulto

10/7- A Falecida (DF)
Tema adulto

11/7- Barrica Poráguabaixo (SC)
O espetáculo trata dos planos quase frustrados da Palhaça Barrica desejando ir à praia. Somente o desejo de ir já é um bom motivo para atrapalhações. Num lugar de proximidade com o público e utilizando recursos concretos e imaginários, a Palhaça lança mão de toda a sua graça e sensibilidade para realizar seu sonho, vencendo os limites impostos pelos padrões a fim de alcançar o prazer e a alegria, em momentos de pura brincadeira consigo mesma e com a plateia.
45 min
Circo
Classificação indicativa livre

12/7 – Barrica Poráguabaixo (SC)
O espetáculo trata dos planos quase frustrados da Palhaça Barrica desejando ir à praia. Somente o desejo de ir já é um bom motivo para atrapalhações. Num lugar de proximidade com o público e utilizando recursos concretos e imaginários, a Palhaça lança mão de toda a sua graça e sensibilidade para realizar seu sonho, vencendo os limites impostos pelos padrões a fim de alcançar o prazer e a alegria, em momentos de pura brincadeira consigo mesma e com a plateia.
45 min
Circo
Classificação indicativa livre

13/7- Não haverá apresentação devido à final da Copa do Mundo

14/7- Oficina Barrica

15/7- Plágium (MS)
Segundo o dicionário Houaiss, “plágio” é a simulação de autoria sobre algo produzido por outrem. Plagium?, da Cia. Dançurbana, apropria-se de recortes de obras de companhias de dança reconhecidas para criar um espetáculo particular. Toma como referências Ginga Cia. de Dança (MS), Membros (RJ), Quasar (GO), Cena 11 (SC) e a companhia belga Rosas, e lança a pergunta: como é possível ser singular em contato com o que há em comum com outras obras?
Cia. Dançurbana
40 min
Dança de rua
Classificação Indicativa Livre

16/7 – Uma Flor de Dama (CE)
Temática adulta
Drama
Classificação indicativa: 18 anos

17/7- Havia(DF)
O espetáculo é inspirado no livro de contos “Havia – Histórias de coisas que havia e outras que vai havendo”, da autora portuguesa Joana Bértholo. Misturando teatro, artes plásticas e cinema ao vivo, a peça narra a vida de uma pessoa que entrava na casa dos outros simplesmente pelo gosto de invadir e roubar a intimidade alheia. A montagem utiliza efeitos audiovisuais, manipulação de objetos e captação de som para criar um espetáculo multissensorial.
Classificação indicativa: 14 anos

18/7- Sargento Getúlio (BA)
O espetáculo, adaptação do romance homônimo de João Ubaldo Ribeiro, conta a história de Getúlio, um rude militar que tem a missão de transportar um prisioneiro e inimigo político de seu chefe. No meio da jornada, em virtude da mudança no panorama político, o sargento recebe a ordem para soltar o prisioneiro, mas, devido ao seu temperamento avesso, ele decide, com destemor, terminar a missão que lhe foi confiada.
Teatro Nu
50 min
Drama
Classificação indicativa: 14 anos

19/7 – Sargento Getúlio (BA)
O espetáculo, adaptação do romance homônimo de João Ubaldo Ribeiro, conta a história de Getúlio, um rude militar que tem a missão de transportar um prisioneiro e inimigo político de seu chefe. No meio da jornada, em virtude da mudança no panorama político, o sargento recebe a ordem para soltar o prisioneiro, mas, devido ao seu temperamento avesso, ele decide, com destemor, terminar a missão que lhe foi confiada.
Teatro Nu
50 min
Drama
Classificação indicativa: 14 anos

20/7- Cidade dos Outros (MT)
Temática adulta
Cia. Pessoal de Teatro
50 min

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!