Educação, Reflexões, Sem categoria

Manual do visitante: dicas para visitar recém-nascido

Sabe-se que quando nasce um bebê, nasce uma mãe. São muitas novidades para a família e não é só o(a) bebê que se adapta à nova vida (fora do útero). Toda a família precisa, também, se adaptar à nova rotina com um bebê… E isso leva um tempo… E acontece de forma mais gostosa se os pais têm condições de viver isso com ajuda da família e dos amigos mais queridos, que em alguns casos, “muito ajudam se não atrapalharem”.

Como mãe, também sei que quanto mais gente gosta do nosso filho, melhor. É muito gostoso saber que muitas pessoas têm carinho pelos nossos filhos e também estão felizes com a chegada deles. É delicioso dividir com as pessoas que a gente mais gosta a felicidade da chegada do nosso maior presente também.

No entanto, existem formas apropriadas e oportunas de expressar carinho e entusiasmo com a chegada de um recém-nascido sem invadir a privacidade dos pais, sem atrapalhar a nova rotina ou cansar a mãe, que precisa, mais do que nunca, de tranquilidade.

DICAS PARA VISITAR UM RECÉM-NASCIDO: 

– Se você não foi convidado (a), dê os parabéns por telefone, e-mail ou SMS e aguarde 3 meses para entrar em contato novamente. Os pais, certamente, vão se lembrar de convidá-lo se sua visita for bem-vinda naquele momento.

– Depois de 3 meses, você pode oferecer uma visita. Se a família marcar, telefone antes de chegar, perguntando se aquela é mesmo uma boa hora para a visita (já que outras pessoas podem ter chegado ou já que um imprevisto pode ter acontecido). Se a família não marcar a visita, não insista. Em outra oportunidade, a família vai se lembrar que você já manifestou interesse em visitar.

– Independente de ser ou não convidado, não fique mais de 1 hora. A rotina de um recém-nascido funciona + – de 3 em 3 horas, independente de ser dia ou noite. E a cada período desses, a mãe precisa descansar um pouco, já que a noite será como o dia. Se você impede que a mãe descanse por mais de 1 período desses, você está atrapalhando a rotina da família.

– Se você é amiga da mãe ou por algum outro motivo ela insistir para você visitá-la ou ficar mais um pouco, acredite, ela te AMA! (risos)

– Independente de seu relacionamento com a mãe do bebê, sempre espere ela oferecer para que você pegue o bebê dela no colo. Se ela assim o fizer, lave suas mãos e use uma fralda de pano entre você e o bebê. Nunca, nunca e nunca tire um bebê do colo da mãe se ela não oferecer para que você pegue a criança. Se a mãe não oferecer o bebê para você pegar no colo, contenha-se.

– Não se esqueça que você está visitando um bebê, uma nova mãe e um novo pai. As necessidades e preferências dessas três pessoas devem ser consideradas ao visitar, independente de você ter mais intimidade ou parentesco só com o pai ou só com a mãe. E é sempre muito gentil perguntar e se preocupar, com a nova mãe, tanto como você está se preocupando com a criança.

– Não é obrigatório levar presentes. Mas se você optar por essa gentileza, não leve chocolates, bebidas alcoólicas ou charutos (aliás, nunca entendi porque são presentes clássicos se são três coisas que a mãe não pode usufruir amamentando!) sem a certeza de que aquilo vai agradar à mãe e ao pai. Também não espere que pai e mãe desfrutem desses presentes ali, na sua presença. Roupas do tamanho exato da criança também não são ideais porque se a mãe precisar trocar, vai perder o prazo de troca.

– Pais (avós do bebê), irmãos (tios do bebê), avós (bisavós do bebê) e padrinhos do bebê geralmente são a parte mais próxima da família e não precisam de convites formais para se sentirem bem-vindos na casa dos filhos, irmãos e netos. No entanto, esse é um período muito delicado, os pais do bebê geralmente estão cansados e precisam de privacidade. Assim “ligar antes de chegar perguntando se é mesmo uma boa hora para chegar” e “ficar menos de 1 hora” também é válido para essas pessoas.

– Da parte mais próxima da família (citados acima) também se espera ajuda. Perguntar se a família está precisando de algo da farmácia antes de chegar, por exemplo, é gentil.

– Não pegue na mãozinha da criança sem lavar E higienizar as mãos com álcool. Lembre-se que ela leva a mãozinha na boca toda hora. Também é terminantemente proibido beijar as mãos e rosto de bebês pequenos. Se não resistir a isso (é difícil mesmo!), beije a acaricie a cabecinha.

– Não e não encare essa visita como uma visita típica, onde a anfitriã prepara quitutes, serve bebidinhas, abre a porta da casa para você entrar e sair e ainda faz sala durante toda a sua estada por lá. Lembre-se que a mãe está cansada, tem outras preocupações e pendências.

– Não, não e não visite uma criança (principalmente bebê) doente e jamais leve uma criança doente para visitar outra. E nem é preciso explicar o porquê dessa regra, né gente?!

RESUMO: é carinhoso manifestar interesse em visitar uma nova família e, respeitando os momentos e algumas regrinhas, sua visita será muito mais bem-vinda!!!

7 Comentários

  1. Lidiane Mendes

    8 de fevereiro de 2013 at 10:34

    adorei as dicas…. estou gravida pela primeira vez, e muito ansiosa pra que chegue logo o momento, mas tbm não sei bem como vai ser…as dicas são muito uteis e simples de serem executadas….

    1. Iza Garcia

      8 de fevereiro de 2013 at 10:57

      Que bom que você gostou, Lidiane!

  2. luiza

    9 de fevereiro de 2013 at 08:55

    Coisas tão simples e tão ignoradas!
    Acho q a de NUNCA tirar um bebê do colo da mãe é uma das melhores!
    Cada coisa sem noção. ….

    E receber visitas é o máximo! É maravilhoso saber que todos estão felizes com a chegada do pequeno. …

    1. Mari Oliveira

      10 de fevereiro de 2013 at 22:37

      Cada uma, né, Luiza?
      Eu coleciono algumas histórias aqui, que afff…

      Um abração! 🙂

  3. Paula

    16 de outubro de 2013 at 20:06

    Olá!
    Estas dicas deveriam ser ensinadas na escola. Rsrsrs
    Tive muitos inconvenientes. Familiares distantes que se hospedaram na minha casa (isto significavdizer que não lavacam nem um copo), fizeram churrasco, passeios turisticos. Claro que não acabou bem. Visitas que chegavam na hora do almoço, que não lavavam as mãos, que nunca iam embora, mesmo com seu filho chorando de cólicas e que insistiam em dizer que seu filho não tem nada a ver com você (mesmo que seja verdade, vc nao quer ouvir). Aiai… Que bom o desabafo!

    1. Iza Garcia

      17 de outubro de 2013 at 11:00

      Concordo, Paula
      Acredito que muitas pessoas queridas, que seriam muito bem-vindas, acabam se tornando inconvenientes por falta de educação ou sensibilidade. É uma fase delicada e as pessoas deviam se colocar no lugar da família para não atrapalharem…
      Beijos
      Iza

  4. Dani Masi

    17 de outubro de 2013 at 15:54

    Adorei as dicas. Eu deveria ter lido antes rss
    Gostaria de acrescentar que não é bom que a visita vá visitar o bebê usando perfume.
    Nunca se sabe se o pequenino ou a mãe têm alergia. Fica a dica.
    Beijos

Comente!