Sabe-se que quando nasce um bebê, nasce uma mãe. São muitas novidades para a família e não é só o(a) bebê que se adapta à nova vida (fora do útero). Toda a família precisa, também, se adaptar à nova rotina com um bebê… E isso leva um tempo… E acontece de forma mais gostosa se os pais têm condições de viver isso com ajuda da família e dos amigos mais queridos, que em alguns casos, “muito ajudam se não atrapalharem”.

Como mãe, também sei que quanto mais gente gosta do nosso filho, melhor. É muito gostoso saber que muitas pessoas têm carinho pelos nossos filhos e também estão felizes com a chegada deles. É delicioso dividir com as pessoas que a gente mais gosta a felicidade da chegada do nosso maior presente também.

No entanto, existem formas apropriadas e oportunas de expressar carinho e entusiasmo com a chegada de um recém-nascido sem invadir a privacidade dos pais, sem atrapalhar a nova rotina ou cansar a mãe, que precisa, mais do que nunca, de tranquilidade.

DICAS PARA VISITAR UM RECÉM-NASCIDO: 

– Se você não foi convidado (a), dê os parabéns por telefone, e-mail ou SMS e aguarde 3 meses para entrar em contato novamente. Os pais, certamente, vão se lembrar de convidá-lo se sua visita for bem-vinda naquele momento.

– Depois de 3 meses, você pode oferecer uma visita. Se a família marcar, telefone antes de chegar, perguntando se aquela é mesmo uma boa hora para a visita (já que outras pessoas podem ter chegado ou já que um imprevisto pode ter acontecido). Se a família não marcar a visita, não insista. Em outra oportunidade, a família vai se lembrar que você já manifestou interesse em visitar.

– Independente de ser ou não convidado, não fique mais de 1 hora. A rotina de um recém-nascido funciona + – de 3 em 3 horas, independente de ser dia ou noite. E a cada período desses, a mãe precisa descansar um pouco, já que a noite será como o dia. Se você impede que a mãe descanse por mais de 1 período desses, você está atrapalhando a rotina da família.

– Se você é amiga da mãe ou por algum outro motivo ela insistir para você visitá-la ou ficar mais um pouco, acredite, ela te AMA! (risos)

– Independente de seu relacionamento com a mãe do bebê, sempre espere ela oferecer para que você pegue o bebê dela no colo. Se ela assim o fizer, lave suas mãos e use uma fralda de pano entre você e o bebê. Nunca, nunca e nunca tire um bebê do colo da mãe se ela não oferecer para que você pegue a criança. Se a mãe não oferecer o bebê para você pegar no colo, contenha-se.

– Não se esqueça que você está visitando um bebê, uma nova mãe e um novo pai. As necessidades e preferências dessas três pessoas devem ser consideradas ao visitar, independente de você ter mais intimidade ou parentesco só com o pai ou só com a mãe. E é sempre muito gentil perguntar e se preocupar, com a nova mãe, tanto como você está se preocupando com a criança.

– Não é obrigatório levar presentes. Mas se você optar por essa gentileza, não leve chocolates, bebidas alcoólicas ou charutos (aliás, nunca entendi porque são presentes clássicos se são três coisas que a mãe não pode usufruir amamentando!) sem a certeza de que aquilo vai agradar à mãe e ao pai. Também não espere que pai e mãe desfrutem desses presentes ali, na sua presença. Roupas do tamanho exato da criança também não são ideais porque se a mãe precisar trocar, vai perder o prazo de troca.

– Pais (avós do bebê), irmãos (tios do bebê), avós (bisavós do bebê) e padrinhos do bebê geralmente são a parte mais próxima da família e não precisam de convites formais para se sentirem bem-vindos na casa dos filhos, irmãos e netos. No entanto, esse é um período muito delicado, os pais do bebê geralmente estão cansados e precisam de privacidade. Assim “ligar antes de chegar perguntando se é mesmo uma boa hora para chegar” e “ficar menos de 1 hora” também é válido para essas pessoas.

– Da parte mais próxima da família (citados acima) também se espera ajuda. Perguntar se a família está precisando de algo da farmácia antes de chegar, por exemplo, é gentil.

– Não pegue na mãozinha da criança sem lavar E higienizar as mãos com álcool. Lembre-se que ela leva a mãozinha na boca toda hora. Também é terminantemente proibido beijar as mãos e rosto de bebês pequenos. Se não resistir a isso (é difícil mesmo!), beije a acaricie a cabecinha.

– Não e não encare essa visita como uma visita típica, onde a anfitriã prepara quitutes, serve bebidinhas, abre a porta da casa para você entrar e sair e ainda faz sala durante toda a sua estada por lá. Lembre-se que a mãe está cansada, tem outras preocupações e pendências.

– Não, não e não visite uma criança (principalmente bebê) doente e jamais leve uma criança doente para visitar outra. E nem é preciso explicar o porquê dessa regra, né gente?!

RESUMO: é carinhoso manifestar interesse em visitar uma nova família e, respeitando os momentos e algumas regrinhas, sua visita será muito mais bem-vinda!!!

Autoria de Iza Garcia

“Já quis ser ‘médica de criança’, pipoqueira e costureira. Cursei inglês, italiano, castelhano, mas só falo português. Fiz Direito e Ciência Política, e curto ser blogueira. Desde 11/10/2010 sou “MÃE DA BRUNA” e realizada ao descobrir algo p/ ser a vida inteira”.