roteiro-baby-funchicorea

As mães adeptas da funchicórea podem respirar aliviadas. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu este mês liberar a produção do medicamento.

Ele estava suspenso das prateleiras de farmácias há mais de um ano. Em fevereiro de 2012, a Anvisa cancelou o registro do produto do Laboratório Melpoejo, alegando que não havia comprovação da eficácia e da segurança do fitoterápico, que ajuda a combater a prisão de ventre e as cólicas nos primeiros meses de vida da criança. O processo estava na Justiça desde 2005, mas só no ano passado a decisão foi aplicada.

Segundo a assessoria de imprensa da Anvisa, não há previsão de quando a funchicórea voltará a ser comercializada nem informações detalhadas sobre o que motivou a nova decisão do órgão regulador.

O pediatra Marcelo Reibscheid, do Hospital e Maternidade São Luiz (SP), explica que com a funchicórea os bebês podem até se acalmar, mas isso não significa que a cólica passou. Ele apenas se distraiu. Isso porque um dos componentes do remédio é a sacarina, um tipo de adoçante artificial, que, como toda substância doce, desperta aquela sensação de prazer. A mesma que você sente ao comer chocolate. “Não é recomendado que a criança consuma açúcar no primeiro ano de vida, muito menos adoçante”, alerta Reibscheid.

Caso seu filho já tenha feito uso do medicamento, não se preocupe. “O efeito do remédio é agudo, ou seja, o bebê elimina o que ingeriu rapidamente e não há efeitos colaterais”, afirma Moisés Chencinski, pediatra e homeopata.

Fonte: Revista Crescer 

Autoria de Iza Garcia

“Já quis ser ‘médica de criança’, pipoqueira e costureira. Cursei inglês, italiano, castelhano, mas só falo português. Fiz Direito e Ciência Política, e curto ser blogueira. Desde 11/10/2010 sou “MÃE DA BRUNA” e realizada ao descobrir algo p/ ser a vida inteira”.