olhos_tensos_370

Sabe aquela brincadeira da cabine, que a pessoa entra com fones e, impedida de ouvir o que se passa lá fora, responde “sim” ou “não” para perguntas que não ouviu?

Ontem, ao ler e me divertir com vários posts do Blog Inventare – Ideias do Coração, li algo que me emocionou bastante. Umas espécie de parábola que define bem o que é ser mãe… o fato da gente dizer “sim” para a maternidade sem saber o que isso significa de verdade e o quanto vai mudar sua vida… sobre o quanto mudanças aparentemente negativas podem transformar sua vida para muito melhor!

Só quem é mãe vai rir e se identificar… porque o clichê “você só vai entender quando tiver filho” se aplica a esse post!

Divirta-se com as situações descritas abaixo e constate que só as mães responderiam “siiiiim”, mil vezes seguidas, para essas perguntas!    

Você aceita trocar suas noites de sono gostoso por noites mal dormidas entre dar mamar, trocar fraldas, ver se está respirando e embalar?
Siiiiim!

Você aceita trocar toda sua teoria linda conquistada em anos de observação por uma prática que você mesma pisou em cima, deu uma rodadinha e fez a dança da galinha?
Siiiiim!

Você aceita trocar seus sapatos de salto por minúsculos sapatinhos que custam praticamente o mesmo preço?
Siiiiim!

Você aceita trocar seu rímel intocado por lágrimas de felicidade, culpa, amor e muito orgulho?
Siiiiim!

Você aceita parar de dar palpites absurdos em relação a criação de um filho e começar a ouvi-los?
Siiiiim!

Você aceita trocar suas refeições quentinhas e sossegadas por um prato de comida fria?
Siiiiim!

Você aceita dar um espacinho (ha-ha) na sua cama, no seu sofá, nos armários, no seu carro e nos braços do seu esposo?
Siiiiim!

Você aceita trocar seu cabelo penteado, sua roupa passadinha, suas unhas feitas, seu frescor matinal e seu batom red-poder por olheiras profundas e sutiãs de alça larga?
Siiiiim!

Você aceita passar pomadinha no bumbum, amamentar, ensinar, amar como nunca amou, ver crescer mais rápido que o vento e deixar partir para esse mundão véio sem porteiras?
Não seeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei! (Brincadeira) Siiiiim!

Você aceita trocar tudo isso por sua vida anterior?
Nãããããããããão!

Como dito nesse post lindo, aquelas que dizem “siiiiim” a estas questões, ganham um prêmio. “Agarre ele com seus braços, suas memórias e seus sentimentos. Compartilhe com ele seus princípios, seus sonhos e seus planos. Ensine a respeitar a natureza, os outros e a si mesmo. Derreta-se com suas gracinhas, seu aprendizado e quando ele falar ‘mamãe” e ‘papai”, seja uma pessoa digna de ser exemplo. Conheça um amor inimaginável, um carinho que aperta o peito e um calor que aquece os sentimentos. Só não chacoalhe, ele pode vomitar na sua roupa nova”.

Autoria de Iza Garcia
"Já quis ser 'médica de criança', pipoqueira e costureira. Cursei inglês, italiano, castelhano, mas só falo português. Fiz Direito e Ciência Política, e curto ser blogueira. Desde 11/10/2010 sou "MÃE DA BRUNA" e realizada ao descobrir algo p/ ser a vida inteira".