1

Tal mãe, tal filha! Eu e Bruna iguais até na escova de dentes! (Foto de Juliana Matos Melo, da Fotografia Inventiva)

Há pouco tempo, participando de um bate papo entre mães sobre flúor, ouvi que alguns odontopediatras têm sugerido que a última higienização da boquinha de crianças (ainda que muito pequenas) seja feita com creme dental com flúor.

Como até então eu tinha ouvido muito mais comentários de “cuidado” sobre flúor para crianças, pedi para a Dra. Maria Paula, à frente do perfil @dicasdadentista no Instagram, tecer comentários sobre esse assunto para vocês.

Com a palavra, a Dra. Maria Paula, Especialista em Odontologia Estética e em DTM e Dores Orofaciais:

“Confesso que escrever sobre o flúor de maneira sensata não é uma tarefa fácil. Estamos vivendo uma fase de transição, de muita informação e mudanças de paradigmas, e o que era maravilhoso já não é mais tão bom assim.

Nos últimos anos foi constatado um grande aumento nos casos de fluorose, que são alterações causadas aos dentes deixando-os manchados e enfraquecidos devido ao excesso de flúor.

Mas o flúor não deveria fortalecer os dentes? Sim, mas em excesso pode causar danos aos mesmos!

No passado, foi observado que a adição de flúor no sistema de abastecimento de água contribuiu para o declínio da incidência de cáries, mas será que na Europa, onde o flúor não era adicionado aos sistemas de abastecimento da maioria dos países, a redução da incidência de cáries não ocorreu? Ao contrário, lá também ocorreu o declínio. E isso nos leva a concluir que o declínio foi decorrente de fatores como o uso de pastas com flúor, de campanhas de orientações sobre higiene bucal, melhores condições de vida e programas de saúde bucal

A grande polêmica que envolve o flúor consiste no fato que este é toxico em determinadas quantidades, e que o seu uso na água de abastecimento poderia causar, ao longo dos anos, problemas de saúde, afetando ossos, cartilagens e glândulas. Alguns autores desse movimento alegam que os indivíduos não reagem da mesma maneira quando expostos a determinadas substâncias, e que as crianças, principalmente, seriam muito afetadas. 

O fato mais consistente é que nossas crianças estão sendo mais acometidas com manchas de fluorose do que antes e isso nos alerta para tomarmos mais cuidado com o uso racional e controlado das pastas com flúor, para que elas não tenham mais uma fonte de ingestão dessa substância.

DICAS: 

A quantidade apresentada nos comerciais de pastas é um total exagero, devemos usar uma quantidade bem menor, equivalente ao tamanho de um grão de arroz.

2

O uso de creme dental com flúor em crianças deve ser supervisionado até que elas tenham controle sobre a deglutição, por volta de quatro a cinco anos de idade. Após essa idade, manter a orientação sobre a quantidade a ser colocada na escova.

Alguns dentistas são favoráveis ao uso de pastas com flúor em crianças menores de cinco anos. Eles normalmente indicam essas pastas em crianças com maior risco de cáries, que: fazem uso de respiradores bucais, são portadoras de doenças que dificultam uma boa higiene oral, fazem uso de medicamentos de forma constante, têm dieta muito açucarada, sofrem com diminuição da saliva ou de defeitos no esmalte dentário.

Todos esses fatores devem ser avaliados por um dentista, para a correta indicação do uso racional do flúor. Caso contrário, eu não indico o seu uso antes dos quatro anos de idade. As pastas que indico, inclusive, estão nesse outro artigo.

Para as mamães que não conseguiram amamentar, esse quadro mostra as quantidades máximas que os bebês podem ingerir de flúor. Vejam como é difícil controlar a medida, considerando que as mamadeiras são feitas com água fluoretada:

1

Sobre o quadro acima, aconselho as mamães que preparam mamadeiras a utilizarem água sem flúor (existem filtros que eliminam flúor) para evitar os riscos de fluorose.

Maria Paula é dentista e mãe de duas princesas, Clara e Manuela.
Especialista em Odontologia Estética e em DTM e Dores Orofaciais.
Atende em seu consultório desde 1997 – www.odontologiampaula.com.br
Atua como Professora Assistente no curso de Especialização de Dentística na Universidade São Leopoldo Mandic em São Paulo.
Nas horas vagas mantêm um perfil no Instagram sobre dicas odontológicas para leigos: @dicasdadentista / http://instagram.com/dicasdadentista

Autoria de Iza Garcia

“Já quis ser ‘médica de criança’, pipoqueira e costureira. Cursei inglês, italiano, castelhano, mas só falo português. Fiz Direito e Ciência Política, e curto ser blogueira. Desde 11/10/2010 sou “MÃE DA BRUNA” e realizada ao descobrir algo p/ ser a vida inteira”.