943578_321700201293251_1211488260_n

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, lança hoje, 4 de junho, a 34ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, em Brasília. A campanha é realizada em parceria com as secretarias estaduais e municipais, no período de 8 a 21 de junho, e abrange todos os estados do país e o Distrito Federal.

O objetivo é imunizar crianças de seis meses até cinco anos (4 anos 11 meses e 29 dias), inclusive aquelas que já receberam doses do antígeno anteriormente. A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil quando ataca crianças, é uma infecção viral causada pelo poliovírus. A doença pode ser moderada ou severa. Nos casos mais graves a poliomielite pode levar à paralisia e morte. Pessoas de todas as idades podem contrair poliomielite, embora crianças pequenas sejam mais frequentemente afetadas (paralisia infantil).

A doença não se espalha facilmente em comunidades com altas taxas de vacinação. Quando o poliovírus se espalha isso geralmente acontece dentro do lar. O vírus pode se propagar através de contato com objetos, privadas ou mãos. Em pessoas não vacinadas também é possível que o vírus da poliomielite se espalhe através de secreções respiratórias.

Na maioria dos casos, pessoas infectadas com o poliovírus não se sentem doentes. Algumas vezes o vírus pode causar sintomas parecidos com os da gripe pode alguns dias ou uma combinação de febre, mal-estar, sonolência, dor de cabeça, dor muscular, corpo dolorido, náusea, vômito, diarréia ou constipação, e dor de garganta.

No sábado, 8 de junho, é o Dia D da campanha, quando todas as crianças de seis meses a menores de 5 anos (4 anos 11 meses e 29 dias) devem ser vacinadas contra a Pólio. A campanha segue até o dia 21 de junho.

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!