537175_338995429556230_1946884588_n

Foto DAQUI

No dia do aniversário de Brasília, aconteceu no Museu da República uma performance super curiosa, criativa, fofa e totalmente diferente: um carrinho de pipoca que distribuia a pipoca só para quem declamasse uma poesia! Era assim: quem quisesse pipoca – criança ou adulto –  chegava no carrinho, recitava uma poesia, e ganhava um saquinho de pipoca doce ou salgada. Eu achei aquilo lindo, lindo, lindo! Daí fui procurar na Internet quem eles eram, como surgiram, por onde andam, onde eu poderia vê-los de novo.

Achei a fanpage, e este vídeo abaixo:

Entrei em contato com a Manuela Castelo Branco, responsável pelo projeto, que me mandou todas as informações !

O Pipocando Poesias alia vitrine literária, um recital ambulante e pipocas com sabores muito especiais, inspiradas em grandes escritores e poetas brasileiros. Dentre as pipocas doces, estão:
Canela – Jorge Amado
Rosa – Adélia Prado
Chocolate – Castro Alves
Chocolate/Gengibre – Elisa Lucinda
Branca – Cora Coralina
Multicolorida – Cecília Meireles

Já as pipocas salgadas têm:

Salgada tradicional – Ferreira Gullar
Bacon – Hilda Hirst
Queijo – C. Drummond
Curry – Clarice Lispector
Manteiga – João Cabral
Alecrim – Manoel de Barros

O cenário é um sugestivo carrinho de pipoca, e os atores-pipoqueiros fazem a poesia brasiliense e brasileira explodir nas ruas e monumentos da cidade. Atualmente o projeto atua de acordo com o tripé venda de produtos (a venda de pipocas, e onde os atores-pipoqueiros declamam poesias numa atuação “corpo-a-corpo”), apresentações culturais (além da declamação seguida de poesias pelos atores-pipoqueiros, a plateia é estimulada a também declamar poesias ensejando um recital coletivo movido a pipoca. A cada poesia declamada, um saco com pipoca e poesia é oferecido), e formação (sim, eles estão engajados na formação de novos atores-pipoqueiros, ensinando a eles economia criativa e agindo socialmente, na medida em que buscam a sustentabilidade de jovens em situação de risco social).

O projeto dispõe também de uma estante móvel recheada de livros para consulta e deleite dos transeuntes. Nesta estante há um espaço destacado aos poetas de Brasília. Hoje o projeto conta com dois carrinhos de pipoca estilizados.

Esse carrinho de pipoca fascinante vai receber poesias de novo no CCBB, no fim do mês de junho. Leve seus filhos com um poeminha na ponta da língua e troque por um saco com pipoca e muito lirismo!

“Para as crianças, a poesia é um jogo verbal extremamente divertido, é parente da música. Pode-se e deve-se oferecer poesia às crianças desde muito pequenas, enfronhadas que estão na linguagem simbólica.” – Marina Colasanti

Local: Centro Cultural Banco do Brasil – SCES, Tr. 2, Conjunto 22 – Asa Sul – (61) 3108-7600
Data: Sábado e domingo, às 15h
Preço inteira: Entrada franca
De: 22/06/2013
Até: 23/06/2013

Classificação Etária: Livre

Mais informações: http://www.facebook.com/PipocandoPoesia

ou visite o blog: http://pipocandopoesia.blogspot.com.br/

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!