roteiro-baby-dica-amamentação-shutterstock

Imagem ShutterStock. Cópia não autorizada.

Vez ou outra eu me deparo com alguma mãe que amamenta comentando que está se privando de comer muita coisa que ela gosta. Fico com “dó”, afinal, é um período longo ou muito longo para se privar de uma alimentação gostosa.

Pensando nisso, pedi para a minha nutricionista em Brasília – Dra. Lara Garcia – compilar as dicas (que eu aproveitei!) para as mamães que estão amamentando.

Vejam que é possível se alimentar com saúde e prazer sem tantas privações se vocês fizerem algumas adaptações e substituições:

Com a palavras, a Dra. Lara Garcia:

A restrição ao consumo da proteína do leite de vaca é indicada para evitar cólicas no bebê, diante disso o consumo regular de outras fontes de cálcio se torna fundamental: sardinha, gergelim, castanhas em geral e folhosos de cor verde escura.

A ciência comprova que laticínios, feijão e chocolate podem verdadeiramente induzir cólicas no bebê. No entanto, evite restrições alimentares infundadas para não comprometer a qualidade nutricional do leite materno. Substitua o chocolate tradicional pela alfarroba (chocolate vegetal isento de leite).

Para aumentar as reservas nutricionais de ferro e evitar os sintomas da deficiência deste mineral (cansaço, queda de cabelo, fraqueza), priorize o consumo diário de: carne vermelha, gema de ovo, vegetais de cor verde escura e beterraba. Apesar de ser uma boa fonte de ferro vegetal o feijão deve ser evitado.

Substitua queijos e manteiga pela margarina becel (que é isenta de leite) ou use geléia sem corantes artificiais.

Evite o uso de adoçantes dietéticos artificiais devido à ausência de pesquisas confiáveis e precisas sobre eles. Use o adoçante Sucralose – Línea (derivado da cana de açúcar 100% natural).

A restrição à carne vermelha e frutas ácidas só é necessária em caso refluxo em bebês. A restrição aleatória ao consumo desses alimentos compromete o estado nutricional materno agravando ainda mais a deficiência de ferro que geralmente acompanha este período.

Evite o consumo de alimentos embutidos (mortadela, presunto, salsicha, lingüiça, paio), gelatina, refrigerante e sucos industrializados para diminuir a ingestão de aditivos químicos como corantes, estabilizantes e aromatizantes artificiais.

Evite o consumo de cafeína (chocolate, chá preto, mate, coca-cola). Algumas crianças podem reter a cafeína no organismo manifestando sintomas como agitação e dificuldade para dormir. A cafeína pode ainda comprometer a absorção materna do mineral ferro reduzindo assim o teor de ferro no leite materno. Uma boa opção é o consumo do café descafeinado.

Faça uso regular de alimentos ricos em ácido graxo ômega–3. O teor de ômega-3 no cérebro de um bebê triplica durante os três primeiros meses de vida sendo fundamental para o crescimento cerebral e o desenvolvimento pleno da visão (retina). Fontes: peixes e linhaça.

Evite consumir os temperos a que o bebê pareça sensível. Pesquisas mostram que alguns bebês rejeitam o sabor do leite materno depois que as mães utilizam temperos e condimentos fortes (ex: pimenta, curry, açafrão, shoyo, excesso de alho e cebola).

Não use laxantes para regularizar as funções intestinais (alguns tem efeito laxativo sobre o bebê). Para garantir um bom funcionamento intestinal aumente o consumo de fibras e água (10-12 copos / dia)

Evite bebidas alcóolicas na gravidez. O consumo frequente de álcool pode deprimir o sistema nervoso da criança desacelerando seu desenvolvimento motor. Se for tomar apenas um drinque, tome-o logo depois de oferecer o peito, beba água depois e procure não amamentar pelas próximas duas horas.

SERVIÇO:

Dra. Lara Garcia – Nutricionista em Brasília
Consultório: (61) 3366-1821 ou  8568-1000 (secretária Raíza)
www.laragarcia.com.br
www.facebook.com/nutricionistalaragarcia

 

Autoria de Iza Garcia
"Já quis ser 'médica de criança', pipoqueira e costureira. Cursei inglês, italiano, castelhano, mas só falo português. Fiz Direito e Ciência Política, e curto ser blogueira. Desde 11/10/2010 sou "MÃE DA BRUNA" e realizada ao descobrir algo p/ ser a vida inteira".