Este é um post de HUMOR. A Síndrome abaixo não existe. Trata-se de uma brincadeira a respeito de uma mania comum em crianças! 

Tenho certeza que sua/seu filha/o é todo cheio de gracinhas! Manda beijo, bate palma, faz charme, imita o gato, o cachorro, o pato, o macaco, e mais uma infinidade de animais, né? Pois é, a minha Júlia também é assim. Além disso ela já entende alguns comandos em inglês (filha de mãe tradutora), responde a algumas falas de filmes que eu ensinei, sabe apontar direitinho todos os Beatles e os personagens principais da Turma da Mônica, mostra as letras J de Júlia e M de Mamãe no alfabeto e outras tantas gracinhas…

E quem mais sabe que ela faz isso? Ninguém. Só eu. É que Júlia tem apresentado sinais do que eu batizei de “Síndrome de Michigan Frog“. Não, não precisa ficar com pena dela! Toda criança – eu disse TO-DA CRI-AN-ÇA, seu filho também tem ou terá! – tem a Síndrome de Michigan Frog. Você sabe quem é Michigan Frog?

 

Se você tem mais de 30 anos, deve lembrar que Michigan Frog é aquele sapo cantor, que canta, dança e sapateia – mas só na frente do dono! Toda vez que o dono tenta mostrar o que o sapo faz a alguém, ele congela e só coaxa (ei, antes que alguém chame a minha atenção – NÃO, eu NÃO  estou dizendo que as mães são donas dos filhos, ok? É só um paralelo para explicar a “síndrome”, rs!).

Mas e aí, reconheceu o comportamento? Seus filhos fazem inúmeras e incontáveis fofurices lindas, mas só pra Mamãe? E você, orgulhosa, tenta mostrar os feitos de seu pequeno gênio para a família e amigas, ou tenta filmar,  e só recebe de volta aquele olhar blasé como quem diz “Imitar um gato? Do que você está falando, Mamãe?

Bem-vinda ao clube!

Autoria de Mari Oliveira
Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line. Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line. No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”. Eles estavam certos!