Eu já tinha escutado falar muito bem do restaurante alemão Servus (que fica na DF-140, a caminho da cachoeira do Tororó), tinha recebido tanto indicações de colegas do trabalho como tinha lido boas críticas em blogs específicos de gastronomia aqui de Brasília. Como meu marido é fã de cozinha alemã, decidimos ir conhecer o Servus no fim de semana do nosso aniversário de casamento – as indicações que recebemos eram de que o local era ótimo para crianças, pois o restaurante funciona na casa da proprietária, em uma chácara no Setor Habitacional Tororó, em Santa Maria.

Como o caminho é longo até o restaurante, e eu confesso que fiquei preocupada com o que Júlia iria comer  lá (nunca dei embutidos a ela, e a gastronomia alemã é famosa pelas salsichas e molhos mais fortes e apimentados), me preparei em casa bem cedo: dei um “mini-almoço” a ela antes de sairmos (pro caso dela não querer comer nada lá) e não deixei que ela tirasse o cochilo da manhã – para ir dormindo no caminho.

A nossa maior dificuldade foi mesmo em achar o local . Como Júlia não dormiu de manhã, meu plano deu certo:  assim que começamos a rodar, ainda no Plano Piloto, ela já capotou e foi dormindo até chegarmos lá. Ainda bem! Porque  todas as dicas que encontrei na Internet com o caminho eram muito complicadas (inclusive a dica de um latão de lixo AMARELO na porta do restaurante, sendo que o latão é VERMELHO!!), a gente se perdeu umas duas vezes e teve que ligar pra proprietária do Servus ir nos socorrer. Por sorte estávamos perto, e ela foi nos buscar de carro, rs! Enfim, oficialmente o endereço é DF-140 quilômetro 6,2, Setor Habitacional Tororó – próximo à Cachoeira do Tororó, mas para mim a melhor dica que poderiam ter dado seria procurar um mapa para o Condomínio Alphaville, na DF140.  Nós fizemos assim: saindo do Plano, pegamos a Ponte JK em direção à ESAF, indo para os condomínios. A partir daí, fomos seguindo as placas para Unaí até chegar na Papuda. Passamos pela Papuda, e seguimos até o próximo balão, onde  passamos a seguir a placa “Jardim ABC/Cachoeira do Tororó” [aí nos perdemos]. Depois que ligamos pra dona do Servus, fomos seguindo o carro dela por esse caminho, onde se vê três torres grandes de celular, passamos pelo Condomínio Alphaville, e à esquerda vimos um mercado chamado “Reina Lux”. Depois desse mercado, comece a prestar atenção à direita, porque a placa do Servus não é bem visível. O que vai te indicar a entrada é o tal latão de lixo VERMELHO (hehehe!). Caso você também se perca, como eu me perdi, ligue para a dona, Birgit: 3339 6180 ou 9965 4601. Ela vai te buscar onde você estiver.

Chegando lá, foi muito legal: no dia em que fomos estava cheio de crianças, então Júlia brincou bem.  O ambiente é simples, mas é aconchegante, com uma varanda bem grande onde ficam as mesas. O quintal tem uma casinha de boneca fofa e um escorregador (que fica na sombra!) para as crianças. Tem duas espreguiçadeiras para relaxar depois de tanto comer (mas elas ficam no sol, único defeito do local, na minha opinião).

Vista da casa e varanda com as mesas para os clientes.

Buffet

Casinha de boneca para as crianças.

Escorregador na sombra

Espreguiçadeiras

O serviço é excelente,  o pessoal é super solícito, e a dona, uma simpatia! A comida é farta e MARAVILHOSA, em esquema buffet, e toda feita lá. Para a Júlia (1 ano e 6 meses) eu fiz um prato com Spätzle (o nhoque alemão), cenoura, abobrinha, suflê de chuchu e até goulash – um picadinho de carne com páprica e cebola (que apesar da páprica não estava apimentado, estava bem suave), e pedi um suco de laranja feito na hora pelo pessoal do restaurante. Ela não comeu muito (já que eu tinha dado comida antes de sairmos) e só tomou o suco, mas para quem tinha, como eu, medinho de comida alemã para crianças, pode ir com fé que não tem erro, o cardápio variado serve bem os pequenos. Eu e meu marido comemos arroz branco com goulash, Einsbein (joelho de porco, muito gostoso, bem macio, desfiado), salsichas diversas com mostarda escura, o Spätzle, repolho roxo com maçã, geléia de cebola roxa (uma delícia!) e um purê de batatas bem cremoso.  De sobremesa (não incluída no buffet) não tinha o famoso apfestrudel (torta de maçã), mas fomos felizes com uma Sachertorte (um bolo de chocolate com geléia de damasco, que reza a lenda era a sobremesa preferida da imperatriz austríaca Sissi) para mim e uma Kaiserschmarren (panqueca aberta servida com calda de frutas silvestres e polvilhada com açúcar de confeiteiro e uma bola de sorvete de creme) para meu marido. O restaurante ainda tem uma carta de cervejas alemãs e austríacas, mas naquele dia optamos por não beber.

O melhor de tudo foi a conta: o buffet é cerca de R$40 por cabeça (muito em conta para um buffet de cozinha internacional, e bem mais barato que muito buffet de Brasília!)

Vale a pena a pequena viagem!

SERVIÇO

Restaurante alemão Servus
DF-140, quilômetro 6,2, Setor Habitacional Tororó – próximo à Cachoeira do Tororó
Telefone: 3339-6180 e 9675-9087
Lugares: 60 lugares
Horário: 12h30/16h (apenas aos sábados e domingos, por isso é bom reservar antes)

*As fotos acima foram todas tiradas por mim.

 

Autoria de Mari Oliveira

Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line.
Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line.
No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”.
Eles estavam certos!