Hoje a recomendação do Roteiro Baby é um pouco diferente: uma Audiência Pública sobre Publicidade Infantil.

Estamos recomendando este evento porque a presença de mães é muito importante para mostrar aos parlamentares que estamos querendo mudanças na forma brasileira de controlar a publicidade infantil e meios de evitar abusos. Muitas vezes, o mercado alega que está defendendo a nossa liberdade de se informar para poder escolher, mas o que eles querem mesmo é usar nossos filhos como propagandistas das marcas, porque sabem da forte influência que as crianças exercem nas famílias – não só em relação a brinquedos e alimentos, mas sabonetes e produtos de limpeza…

Este é um momento histórico, porque pela primeira vez, nós, mães, teremos voz e poderemos demonstrar que não estamos satisfeitas com os atuais mecanismos de controle dos anunciantes e que não admitimos que a publicidade continue atuando de maneira abusiva, sem que qualquer medida eficaz possa ser tomada para reparar os seus equívocos.

Precisamos mostrar que gostamos muito de liberdade, inclusive da liberdade de consumir e de obter informações comerciais, mas que não queremos empresas anunciando para os nossos filhos. Cada anunciante é capaz de ser criativo e anunciar para os pais, que detém o poder de compra e de decisão sobre o consumo familiar.

Nossa porta-voz será uma das colaboradoras do Coletivo Infância Livre de Consumismo (ILC) que reúne os pais pró-regulamentação da publicidade infantil. Com três meses de atividades, o ILC já tem mais de cinco mil seguidores no Facebook e ganhou apoios importantes, como o do Instituto Alana, da Aliança pela Infância e do Idec, e de teóricos da comunicação como Telma Vinha, Edgard Rebouças, Laurindo Leal Filho e Venício Lima. O objetivo do grupo é socializar informações sobre os danos provocados pela publicidade dirigida às crianças e os impactos na vida das famílias, da sociedade e no meio ambiente. Além disso, gerar aprendizado sobre as possibilidades de regulamentação da propaganda dirigida à infância e mobilizar as famílias para participarem das discussões e definições de rumos da legislação.

Esta é uma causa fortemente relacionada à maternidade e maneira como nossos filhos serão educados, e temos o direito e o dever de comparecer.

Se não puder ir, assista à transmissão no link e participe do twitaço: @infancialivre

SERVIÇO:
O QUÊ:  Audiência Pública PL 9521/01
QUANDO:  03/07/12, 14h30
ONDE:  Câmara de Deputados – Plenário 13, Anexo 2
OUTRAS INFORMAÇÕES: AQUI.

Autoria de Mari Oliveira

Sou mãe, esposa, filha e irmã off-line.
Tradutora, fã dos Beatles e mãe de primeira viagem on-line.
No dia 13 de maio de 2011, ouvi Maria Betânia cantar e o obstetra repetir: “Você verá que a emoção começa agora”.
Eles estavam certos!