Economia, Enxoval, Para Bebês, Para Mamães

DICAS: Como escolher o melhor carrinho

Há tempos eu ensaio escrever um post com as dicas que tenho sobre o carrinho ideal. Ele, enfim, ficou pronto… e eu espero evitar que muitas mães comprem o carrinho errado e se arrependam.
Antes de mais nada, registro que o carrinho escolhido por mim foi o italiano Sì, da marca Peg Perego e que, sempre que eu posso, tento convencer alguém a seguir essa dica, já que eu fiquei COMPLETAMENTE satisfeita com a minha escolha e o considero um dos melhores carrinhos do mercado.
“O melhor carrinho” é muito relativo. O que é “melhor” pra mim, pode não ser para muita gente. É um conceito que depende de muitos fatores.
Para mim, “o melhor carrinho” tinha que (1) ser prático (leve e fácil de abrir/fechar) e (2) atender as minhas necessidades até quando eu não precisasse de carrinhos.
Para mim, o melhor carrinho tinha que servir para um bebê pequeno e uma criança grande, já que eu não aceitava, de maneira alguma, a possibilidade de comprar DOIS carrinhos para a minha filha.
Esses eram os meus critérios.
No entanto, há quem abra mão de ter um carrinho prático e faça questão de ter um carrinho bonito. Há quem tenha um orçamento ilimitado e existem, ainda, pessoas que compram carrinhos ideais para bebês, mesmo sabendo que eles não serão tão úteis quando o bebê crescer porque aceitam, numa boa, a possibilidade de comprar outro carrinho quando isso acontecer.
O que eu aprendi é que “o mercado conspira” para que as mães comprem DOIS carrinhos para cada filho (absurdo!). Isso porque a maioria dos carrinhos excelentes para bebês (ultra confortáveis) são mega trambolhentos, calorentos e apertados para uma criança andante. E os carrinhos magrinhos, práticos e super leves, bacanas para as crianças maiores, não servem para os bebês pequenos.
Então, infelizmente, é preciso estabelecer prioridades para encontrar o carrinho ideal para a sua família. Eu garanto que será impossível encontrar um carrinho prático, leve, barato, lindo e que sirva de 0 a 5 anos.
Então, para decidir sobre o carrinho ideal para a sua família, siga essas dicas e considere o seguinte:
– PREÇO: analise somente os carrinhos que cabem no seu orçamento. Existem muitos modelos no mercado e limitar a pesquisa por preço excluirá muitos carrinhos, facilitando a pesquisa.
– PRATICIDADE X BELEZA: eu abri mão da beleza e não comprei um carrinho feio. A beleza e o modismo só não eram prioridades para mim. Eu fazia questão absoluta de ter um carrinho leve, que fechasse/abrisse de facilmente. E, geralmente, os carrinhos da moda e mais bonitos, costumam ser, também, os mais trambolhentos e complicados.
– ASSISTA VÍDEOS NO YOUTUBE: existem vídeos de quase todos os carrinhos na internet. É bacana ver uma pessoa demonstrando como o mesmo funciona.
– CONHEÇA O PRODUTO PESSOALMENTE: vá até uma loja e teste o produto DE VERDADE. Simule abrir e fechar o carrinho com uma mão só (situação real para quem tem filhos!), simule abrir e fechar o carrinho bem rapidinho (situação real para quem tem filhos!) e para ter certeza que o peso do carrinho é suportável, levante o carrinho até a altura de um porta-malas (situação real para quem tem filhos!). Imagine aquele carrinho pesado que você acha que aguenta carregar somado ao peso do bebê, das sacolas etc.
– COMPARE PESO e TAMANHO: isso também é importante. Também foi um item relevante na minha escolha e eu fiquei MUITO satisfeita com o meu carrinho super leve e que passa em qualquer porta.
– CONVERSE COM OUTRAS MÃES: pergunte a outras mães sobre os carrinhos que elas estão usando. Quando alguém TROCAR de carrinho e, ao mesmo tempo disser que AMAVA o primeiro, desconfie! Se amasse, não teria comprado outro. Siga as dicas das pessoas que justificam suas escolhas de forma coerente.
O carrinho é, sem dúvida, um dos itens do enxoval que mais serão usados! É um acessório que pode trazer muito conforto ou irritação aos pais que fizeram escolhas erradas.
Nesse contexto, registro ainda a minha implicância profunda com carrinhos Quinny (e não com as mães que compram Quinny, ok?!?!) e similares.
Me justificando, explico que a minha observação sobre esse assunto me permite concluir, ao menos, que a  maioria das pessoas que optam por carrinhos “da moda e não práticos”, abrem mão da praticidade em prol da beleza e desse tal modismo.
Nada contra quem dá uma importância maior para essas coisas do que eu dou… mas gostaria que as mães leitoras do Roteiro Baby que estão à procura de um carrinho ideal assistissem a esse vídeo AQUI e analisassem, como eu fiz, se realmente querem um carrinho tão trambolhento (grande, mesmo quando está dobrado!), que só fecha quando a mãe se abaixa até o chão (fala sério!) e pesado…
IMPORTANTE: esse não é um post contra o Quinny. É um post contra “carrinhos trambolhentos” (que o Quinny Buzz, por exemplo, É!). É um post escrito para tentar ajudar mães a encontrarem “o melhor carrinho”! É um post de quem nunca cogitou colocar a mão na roda do carrinho (lugar mais sujo do planeta!) para tentar diminuir minimamente o trambolho que é o carrinho Quinny dobrado…
PEDIDO: gostaria que TODAS as mães que lessem esse post, comentassem sobre os SEUS carrinhos, citando a marca, o modelo e as características que mais gostam (ou que não gostam) neles. Isso pode ajudar muita gente!

  1. Lais

    9 de fevereiro de 2012 at 11:31

    Já vi tanta gente no shopping com esse Quinny e pensei “deve ser super confortável pro bebê”, mas nem imaginava que ele era tão trambolho fechado! E ainda é um dos mais caros.
    Quando eu estava grávida, ganhei (doação) um carrinho da Galzerano. Como eu e meu bebê íamos morar apenas alguns meses com meus pais e meu quarto é mega pequeno, não comprei berço pra ele. Esse carrinho era do tipo trambolho, mas como era mais pro bebê dormir, valeu a pena por um tempo. Quando ele tinha 5 meses, mudei de cidade pra morar com meu marido, dai compramos o berço e outro carrinho menor, mais leve e prático da marca Angel Baby. E o carrinho grande ficou lá nos meus pais. Voltamos várias vezes para visitá-los e, cada vez que íamos usar o bendito carrinho pra passear era um baita estresse, o bichinho era muito pesado e grande! E meu pai tem um Ford Ka, então imagina se o trambolho cabia no porta-malas.
    A pouco tempo me irritei de vez, baixei a pomba gira e aproveitei uma promoção na Americanas pra comprar um carrinho bem básico e leve (da Angel Baby também) pra ficar na casa dos meus pais. Eles conseguiram devolver o trambolho pra pessoa que fez a doação. Esse novo carrinho é meio chatinho de fechar, mas eu fiquei satisfeita porque é tão leve… E cabe no porta-malas do Ka! rs
    No meu caso, tive que comprar 2 carrinhos porque meus pais moram em outra cidade e, cada vez que pegamos o avião para visitá-los, já tem tanta tranqueira pra levar (inclusive a cadeirinha pro carro) que nem me empolgava em levar o carrinho daqui.

    Bom, essa é minha história com carrinhos rs

    Beijo!

  2. milamedeiros

    9 de fevereiro de 2012 at 14:20

    OI MENINAS DO ROTEIRO BABY, ACOMPANHO O BLOG DIARIAMENTE E MEU UNICO ARREPENDIMENTO É NÃO TER CONHECIDO ELE AINDA NA GESTAÇÃO, SÃO MUITAS AS DICAS E IDEIAS LEGAIS POSTADAS AQUI , MAS ENFIM, JUSTAMENTE PARA TENTAR COLABORAR DE ALGUMA FORMA QUE IREI COMENTAR SOBRE A ESCOLHA DO MEU CARRINHO, OU MELHOR 2 CARRINHOS, ISSO MESMO, ACABEI TENDO QUE COMPRAR 2 MODELOS, MAS POR JEGUICE MINHA MESMO DE NÃO OBSERVAR UM DETALHE ( QUE O FABRICANTE PODERIA TBM TER SIDO MAIS CLARO ) QUANTO AO NUMERO DE RECLINES, O TAL MODELO É O GT3 FOR TWO DA PÉG-PEREGO, POIS BEM, NAO REPAREI QUE NA ÉPOCA DA COMPRA EXISTIAM DOIS TIPOS DE GT3, O COMPLETO E O FOR TWO, E O SEGUNDO POR TER A OPÇÃO ( CREIO POUQUISSIMO UTILIZADA) DE CARREGAR UMA SEGUNDA CRIANÇA SÓ RECLINA EM DUA SPOSIÇÕES, SENTADA E LEVEMENTE INCLINADA, O QUE ME DEIXOU CHATEADA PORQUE LOGO QUE O SAMUEL SAIU DO BEBE CONFORTO ELE PASSOU A TER CONFORTO NENHUM QUANDO QUERIA TIRAR UM COCHILINHO, E EU PESQUISEI E ACHEI NUM BLOG GRINGO QUE ERA POSSIVEL TIRAR ESSA TRAVA PARA QUE ELE PASSASSE A TER 4 RECLINES, POIS BEM, ENTREI EM CONTATO COM A PEG-PEREGO E ELES DISSERAM QUE ISSO ERA IMPOSSIVEL, NESSE MEIO TEMPO POR NECESSIDADE DE VER MEU BEBE PODER TIRAR UM COCHILINHO AGRADAVEL ENQUANTO IA AO MERCADO POR EXEMPLO COMPREI O SEGUNDO MODELO, BEM MAS BARATO E QUE ATENDIA A NECESSIDADE DE RECLINE E LEVEZA ESSE FOI O ARIA TBM PEG PEREGO, MAS AIIIII, EU QUE NUNCA FUI MUITO CONFORMADA COM NADA REVIREI O GT3 TODO ( PORQUE DE FATO TIRANDO A LIMITAÇÃO DO RECLINE É PARA MIM UM SHOW DE CARRINHO, EMBORA TRAMBOLHUDO EU REALMENTE PERCEBO QUE SAMUEL FICA EXTREMENTE CONFORTAVEL (MEU PRINCIPAL CRITERIO, O SEGUNDO ERA UM CARRINHO QUE ANDASSE EM AREIA DE PRAIA POIS É HABITO MEU E DO MEU MARIDO)E EUREKA! O CARRINHO FOI TRANSFORMADO NUM BERÇÃO@ PORQUE ELE É BEM GRANDE E SAMUEL QUE SMEPRE FOI UM BEBE TIPO GG NAO SE INCOMODA NENHUM POUCO.
    BEM, CASO ALGUMA MAMAE TENHA SE APAIXONADO PELO GT3 E OPTAR POR ALGUMA RAZÃO PELO TIPO FORTTWO FICA A DICA DE QUE TIRANDO UMA TRAVINHA RIDICULA PRESA APENAS POR UM PARAFUSO E PORCA NA PARTE DE TRAS DO CARRINHO ELE VIRA UM BERÇÃO , MAS AI VC PRECISA TER MALA E NEM TANTA FORÇA PORQUE EMBORA GRANDE ELE NAO PESA, MAS NÃO ABRE COM APENAS UMA MÃO, JÁ O ARIA É BEM MAIS SIMPLES E OBJETIVO, TEM O ASSENTO MENOR E MENOS ACOLCHOADO MAS NÃO FICA DEVENDO MUITO NÃO. ESPERO TER AJUDADO.
    AH, O GT3 ME CUSTOU 1.900,00 E O ARIA 299,99 NA PROMOÇÃO. BJOS E BOA SEMANA
    CAMILA E SAMUEL

  3. Jorgea

    9 de fevereiro de 2012 at 15:12

    olha, até fui cmprar o quinny mas quando experimentei achei super ruim, não entendo pq tanta gente compra.
    eu comprei o lola up da marca bébé confort que já conhecia quando morei em Paris e achava maravilhoso. Não me arrependo. ele é super prático, seguro, lindo, fácil de usar, só é um pouco pesadinho, mas paciência.

  4. Unknown

    9 de fevereiro de 2012 at 18:13

    Adorei o post. Estou na segunda gravidez e depois de compara um travel system pesado e que acabei usando por poucos meses pro meu primeiro filho, decidi que vou comprar um lightweight pra minha segunda filha, já no começo. As lojas só querem vender e é claro que com um travel system você nap vai aguentar muito tempo e comprar outro mais leve. Gostei da dica e já estava de olho no Pliko 3 da Peg perego…. Vou checar o Si também… Onde você comprou? aqui em Brasilia mesmo? Abraço

  5. Arq. Clara Miranda

    9 de fevereiro de 2012 at 18:14

    Esse é o meu. Peg perego P3

    Depois de assistir aos videos acho que o meu é melhor. O incoveniente que tenho com ele é o tamanho em relaçao ao meu porta malas. Ele cabe, mas entra justo. O meu é otimo para compras e usei ele desde que o Davi era bebezinho (encaixa o bebe conforto, mas eu nao encaixava) e vai caber por muito tempo. Existe a opçao switch(reverte o bebe olhando para o condutor) que eu nao conhecia e acho que é uma funcionalidade que melhora muito.

  6. Telmazand

    9 de fevereiro de 2012 at 21:57

    Achei excelente a dica sobre carrinhos e acho que vai ajudar muitas mães a fazerem a escolha certa. Só gostaria de complementar sugerindo que testem o tamanho do carrinho no porta-mala do carro! Eu tenho um da chicco que é ótimo mas não cabe direito no meu carro… Tenho que ficar testando várias posições até entrar… rsrsrsrs E é um pouco pesado tb, não dá pra usar só uma mão.

  7. Juliana melo

    10 de fevereiro de 2012 at 00:36

    Eu tenho Quinny é acho o carrinho td de bom!!!! Não porque é moda, mas ele é todo automático e muito prático. E também, acho muito confortável!!!! Meu único arrependimento e não ter comprado o moisés para os primeiros meses do meu bb. Agora que ela saiu do BB conforto ficou melhor ainda, pois coloco o carrinho inteiro sem ter que desmontar no porta malas. E o BB conforto só fica no carro. E verdade que um pouco pesado, mas nada que me incomoda. Isso porque sempre tive problemas no braço direito. Mas estou muito satisfeita!!! E recomendo.

  8. larissa

    6 de novembro de 2012 at 15:01

    o meu é o Burigotto classe 1,
    lindo! rosa de bolinhas, fofissimo!
    mas um trambolho que não cabe em quase porta malas nenhum, o meu carro, que tem um porta malas bem grandinho, cabe só ele e mais nada rs
    foi super útil no primeiro mês da minha filha, porque ela dormia nele no quarto cmg, ele é suoer confortável para bebês pequenos, mas pesa pouco mais de 10 kg, imagina o trambolho!
    acho um absurdo ter que comprar dois carrinhos para um bebê, mas daqui a um tempinho terei que comprar outro
    to pensando no guarda chuva da Infanti, não é cáro e parece bom pra bebês maiores.

  9. Priscila

    27 de fevereiro de 2013 at 14:41

    Queria saber se voce teria alguma preferencia entre o carrinho Peg Pérego Sí e o Peg Pérego Pliko Mini?

  10. Vivianne

    21 de julho de 2014 at 15:22

    Comprei o Carrinho da Chicco, só achei um pouco complicado para entender o manual de instruções. Então segui a dica do blog, e procurei tutoriais no Youtube, como nunca tinha pesado nisso. Agora entendo tudo sobre carrinhos.
    Obrigado por essa grande ajuda.

Comente!