/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Table Normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:12.0pt;
font-family:Cambria;
mso-ascii-font-family:Cambria;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Cambria;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;}


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Table Normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:12.0pt;
font-family:Cambria;
mso-ascii-font-family:Cambria;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Cambria;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;}

Os filmes “Procura-se”, de Iberê Carvalho e “O filho do vizinho”, de Alex Vidigal,  ambos produzidos pelo Coletivo Casa 30, participam do 9º Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI). 
O festival percorrerá dez cidades brasileiras, com mais de 100 filmes nacionais e internacionais na programação. Em Brasília, o festival acontece entre 26 de agosto e 4 de setembro, no Cinemark do Pier 21.
O curta infantil “O filho do vizinho”, do diretor Alex Vidigal, será exibido em todo o Brasil como único representante do Distrito Federal na mostra competitiva do FICI desse ano, categoria Prêmio Brasil – Histórias Curtas. O filme conta a história de Ronaldinho, morador de Taguatinga (DF), que passa dias observando as peripécias de um moleque de sua rua.
O “O filho do vizinho” foi premiado com Melhor Direção de Arte na mostra competitiva digital do 43º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro de 2010; e Melhor Filme – curta-metragem – do 8º Festival de Cinema de Maringá 2011.
Outro filme do Coletivo Casa 30 a ser exibido no festival é o “Procura-se”, de Iberê Carvalho. O curta-metragem participa como convidado hors concours e será exibido na abertura do festival, dia 27 de agosto, antes do longa Uma Professora Muito Maluquinha.
O filme narra a aventura de três crianças que rompem a fronteira social motivadas pelo sentimento sincero por um cachorrinho de estimação. Uma experiência cheia de descobertas, perigos e novas amizades. “Procura-se” conquistou o prêmio de melhor filme do júri infantil e o segundo lugar escolhido pela crítica, no importante Festival Prix Jeunesse Iberoamericano (2011).
As mostras do 9º FICI reúnem filmes inéditos e clássicos, curtas-metragens brasileiros e internacionais, séries de TV, mostras especiais, além de oficinas de cinema de animação e debates. Os ingressos custam apenas R$5.

Muitas opções na tela

A sessão Pequeno Cientista provoca discussões com um cientista de verdade e ensina sobre um tema por meio de um longa-metragem.
As crianças assistem ao filme e depois participam de uma experiência supervisionada por especialistas. Esta sessão exibirá o filme Oceanos (França, Suíca e Alemanha, 2009).



O Programa Internacional traz títulos inéditos de diversos países em versões dubladas. 

Os destaques ficam por conta de Poli, o Fusquinha de Polícia de Rasmus A. Sivertsen Noruega, 2009), para os pequenos a partir de 4 anos e Meu Amigo Storm (2009) de Giacomo Campeotto, da Dinamarca, recomendado a partir de 8 anos e do alemão Os três ladrões (2007).



Na sexta-feira, dia 26 de agosto, às 10h30 e 14h30, acontece o projeto O pequeno jornalista, com a participação de Leandro Fortes, da Revista Carta Capital, que irá debater o filme Ponyo – uma amizade que veio do mar com os espectadores mirins. É uma forma de ouvir as crianças para saber qual é a sua percepção do filme.

A festa de abertura será no sábado, dia 27, às 10h30, com a estréia de Uma professora muito maluquinha, com Paola Oliveira e roteiro de Ziraldo. E também com o curta Procura-se do brasiliense Ibere Carvalho. 


Cinema social e educativo

O FICI também prioriza, como todos os anos, o projeto A tela na sala de aula. 


De acordo com Anna Karina de Carvalho, responsável pelo FICI m Brasília, o festival tem uma função social e de formação de público como nenhum outro evento. “Há nove edições que levamos toda a rede pública de ensino para assistir filmes de arte . 

A adesão é enorme por parte de professores e alunos e já faz parte da agenda das escolas’’, completa Anna. O sucesso com as escolas públicas é tanto que as sessões da A Tela na Sala de Aula já estão lotadas, com 6 mil alunos inscritos. Mas ainda há vagas abertas para as escolas particulares nas sessões especiais do Pequeno Cientista e Novos jovens.


Dublagem ao vivo!

Um grande sucesso do FICI também estará presente em Brasília. São as sessões Dublagem ao vivo, que, nesta edição, recebe os japoneses O Diário do Panda (2008), As Grandes Aventuras da Abelha Hutch (2010), O menino que queria ser viking (2006), da Estônia,  e Contos Indianos (2009), dando aos pequenos a chance de conhecer o trabalho dos dubladores. 

E os adolescentes não ficam de fora da programação. 

Para eles, tem a mostra Novos Jovens, com os filmes Soul Boy, à procura da alma (Quênia, Alemanha 2010); o brasileiro Desenrola e Os Crocodilos estão de volta, na sexta-feira, dia 2.

  

Curtas e homenagens internacionais 

Ainda entre os destaques da Mostra estão as homenagens ao cinema infantil do Japão (A Arte do Cinema Japonês para crianças) e da Holanda, como parte integrante da programação do Ano da Holanda no Brasil. 



A quarta edição do Prêmio Brasil de Cinema Infantil, que exibe curtas-metragens direcionadas aos público infantil em mostras competitivas e não competitivas contará com 124 filmes concorrentes nesta edição. 

Com o objetivo de estimular as produção de filmes em parceria com o Grupo Labocine/Cinema, o FICI premiará os melhores curtas de ficção e animação.



As crianças e adolescentes também podem participar da Oficina de Cinema de Animação, que acontece no saguão da Cinemark do Pier 21 nos finais de semana, das 10h ás 17h. É só chegar e se inscrever!


Confira a programação completa do festival:

FONTE: assessoria de imprensa do evento e Blog Big Motherns Brasília. 

Autoria de Dhemes Andersen